Coberturas

COMO FOI? MÓVEIS CONVIDA – BRASÍLIA/DF


Foto: Niela do Gloom (GO). Divulgação Móveis Convida

Por Foca

Todo mundo sabe o que representa para a música independente do Brasil o Móveis Coloniais de Acaju. Meninos dedicados, empreendedores, talentosos, que transformaram um grupo “inviável” do ponto de vista da lógica mercadológica (banda enorme, formação não convencional, etc) num gigante da música brasileira.

Além de transformarem a sua realidade, os Móveis também pretendem jogar luz sobre a cena candanga, realizando palestras, encabeçando atividades de formação e produzindo o excelente festival Móveis Convida que aconteceu mais uma vez no último final de semana em Brasília. Como já cheguei na sexta não dá para relatar a semana de atividades que a banda e seus parceiros realizaram, mas foram shows em escolas públicas, debates, mesa de negociação e muitas atividades em diversas casas noturnas.

No sábado foi a grande festa de encerramento dentro da UNB numa estrutura enorme, digna dos maiores festivais de música independente que já vi Brasil afora. Um enorme palco externo e um outro interno revezavam bandas candangas e convidadas de fora num lineup muito bem escolhido.

Das bandas de Brasília destaco o promissor show do ElectroDomestiks, numa mistura de rock simples com barulhinhos eletrônicos e os Brown-Há que mostrou bastante evolução desde a última vez os vi em ação. Banda que melhora e banda que quer melhorar e isso é muita coisa!

Representando a novíssima cena indie nacional é impossível passar em branco nos shows do Gloom e do Nevilton. Ambos tem as mesmas qualidades: frontmans espirituosos, talentosos, bons no instrumento e cantores com personalidade. As duas bandas também possuem hits em potencial e veia pop aguçada, o que deixa o caminho bastante promissor. Niela do Gloom impressiona pela maturidade no alto dos seus… 20 anos.

Na parte mais gorda do lineup foi impossível ficar parado com a presentação da Gaby Amarantos. O tecnoshow paraense encabeçado pela cantora deu um passo a frente, misturando a simplicidade da música popular com uma banda excelente que usa a surf music, jazz, samba e mais o que vier na cabeça para apimentar ainda mais o ritmo contagiante da música paraense. Nota 10.

O Dancing Mood da Argentina fez o melhor show da noite. Big Band de Ska com 15 pessoas no palco é convite pro baile e caiu muito bem no lineup do Móveis Convida. Foi um festival de levadas rock steady e interpretações de temas diversos que foram de desenhos animados a os maiores clássicos do ska jamaicano como o Skatalities. Lindo e recomendo a ouvida nos Hermanos (nunca vi um show ruim de uma banda hermana e a saga continua).

O Móveis Coloniais de Acaju subiu para completar a festa. Claro, muito machucados com a correria de produzir e tocar ao mesmo tempo pareciam obviamente cansados, mas isso não tirou o brilho do espetáculo. É sempre bom ver um time como esse jogar em casa.

A parte da programação e estrutra o que decepcionou um pouco foi o público. Não mais que 1.500 pessoas estiveram conferindo a programação, um bom público se o espaço não fosse capaz de receber quatro vezes mais que isso. Acho que o fato de que em Brasília todos os festivias parecidos são gratuitos e o horário do Móveis Convida ter sido bem mais cedo que o normal deva ter atrapalhado um pouco a presença de mais gente (quando fui embora, perto do fim do show dos Móveis vi gente chegando, por exemplo).

Seria excelente se todos os grupos que ganhassem visibilidade como o Móvies ganhou, fizessem 0 mesmo pela suas cidades, estaríamos mais adiante em busca de um mercado ideal para nossas atividades. Parabéns garotos!

5 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *