Coberturas

COMO FOI? CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA 2012 – 1ª EDIÇÃO


Cortejo da Lavagem do Beco da Quarentena

Por Foca

Eu já nervoso com a possibilidade de chover quando algum maluco me disse: calma Foca, essa chuva é para lavar a alma desta bairro, é a benção de jah para a volta do Circuito. Choveu e não foi pouco e mesmo assim mais de 10.000 pessoas se espalharam pelas ruas do bairro na primeira etapa do Circuito Cultural Ribeira em 2012. A décima edição no total.

Incrível detectar o poder transformador da cultura a olhos vivos. Quem estava lá viu a Ribeira real, aquela que já foi inúmeras vezes ocupada pela população da cidade, por seus artistas e pela cultura viva e pulsante. Claro, todos nós sabemos o quanto nossa cidade – e por tabela o nosso bairro mais boêmio e cultural  – estão abandonados pelo poder  público. No circuito não foi diferente, a prefeitura não fez sua parte, iluminou de qualquer jeito algumas ruas e não teve nem o cuidado de limpar o bairro do sábado pro domingo para que a iniciativa privada (nós, todos os aparelhos culturais do Circuito) pudéssemos receber o público com dignidade. Precisou de uma mutirão em várias casas para minimizar o problema, mais um vez contornado (em parte) pela força coletiva.


Tathiane Tábata na Casa da Ribeira

Só comecei a circular depois das 19h para visitar alguns locais de apresentações. Vi o Tramas no Atelier de Flávio Freitas absolutamente lotado, não consegui nem entrar na sessão de Tathiane Tábata na Casa da Ribeira  lotada, vi um Missigina discotecando com sua soundsystem no meio da rua usando vinil e compressores. Consegui passar em frente ao Cultura Clube que quase fecha a rua de tanta gente.

Na Rua Chile, local de maior concentração de público do Circuito foi uma loucura, precisamos até intervir na porta do Galpão 29 para organizar a entrada no espaço, absolutamente lotado. O Centro Cultural Dosol também se manteve lotado durante todo a noite com ápice pro incrível show de lançamento do disco de Simona Talma que emocionou muita gente e deu aquele clima de encerramento com chave de ouro nesta edição do Circuito.


Simona Talma lançando álbum no Centro Cultural Dosol

Muito mais coisas rolaram, muito mais histórias podem ser contadas principalmente porque o Circuito Cultural Ribeira mantém o lema da Liberdade criativa, do Faça Você Mesmo (se for em conjunto com seus iguais melhor ainda). Conte a sua história, tire sua foto, faça o seu vídeo, intervenha no Bairro e mostre ao seu vizinho, amigo ou parente que a Ribeira é o centro criativo da cultura dessa cidade. E tenho dito.

Nos encontramos no dia-a-dia do bairro e dia 09 de setembro tem mais Circuito. Apareçam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *