Coberturas, Natal, Notícias

COBERTURA DE SHOWS: M.I.R.P. NA ESTAÇÃO RIBEIRA EM NATAL

Por João_AK

 

 

Com a intenção de promover uma união maior entre bandas e fortalecer a cena rock de natal, veio o M.I.R.P. (Movimento de Independência do Rock Potiguar), com organizadores insatisfeitos com a produção rocker local. É óbvio que o objeto fomentador do evento foi a tão polêmica forma de seleção usada pelo Rock na Rua, uma votação que poderia ser facilmente burlada. Se esse fato não tivesse ocorrido, o M.I.R.P. com toda certeza não teriam existido, não tem como negar.

 

 

O evento ocorreu no dia 15 de Novembro, feriado nacional (Proclamação da República), contando com uma super estrutura de som e luz fazendo do palco um elemento de valorização aos shows apresentados.

 

 

A primeira banda, Drive Out, subiu ao palco por volta das 16h, sem atrasos, tudo estava como previsto. Público por volta de 60 pessoas, banda iniciante como todas as outras, mas que não deixou a desejar, abrindo o evento com músicas visivelmente influenciadas pelo Post-Hardcore, hora com peso e gritos rasgados hora com mais melodias. Logo após veio o Convergência, uma banda que trabalha no campo do Pop Rock, mas que tem muito a amadurecer, nada que mais ensaios e shows não ajudem.

 

 

Depois de um intervalo breve de ajustes, veio o Promessas do Enigma, conhecidos como PDE, na banda existiam três vocais que alternavam músicas durante o show, ótimos músicos, apresentação além do esperado para um primeiro show, nova banda no cenário. A Reação Adversa é uma banda que está cada vez conquistando mais admiradores, que cantam juntos com a banda e se divertem ao som de “Seu menino cresceu”. A noite pairou, com ela veio a parte mais pesada do evento, banhada de músicas com extremo peso apresentadas pelas bandas Ghandi e Traumam, que além de terem feito um show insano serviram de trilha sonora para performances críticas que estavam acontecendo dentro da Estação Ribeira. Clima perfeito para freqüentadores da cena underground da ribeira.

 

Pelo evento já tinham passado em média 400 pessoas, mas o final ainda tinha muito pra mostrar. Sobe ao palco a banda Hora absurda, com uma formação imensa composta só por mulheres, contendo percussão, instrumento de sopro, um rock com samba, MPB, e que leva sempre onde tocam uma legião de meninas histéricas que ficam na frente do palco vidradas na presença animada das integrantes. Show fantástico e super dançante. Por último e pra fechar a noite, sobe ao palco a banda Ak-47, da qual sou integrante, por isso, prefiro não comentar com olhar distanciado, e digo que foi um show intenso e marcante pra banda.

 

O evento acabou cedo, 22:15 a galera já estava voltando pra casa, foi uma noite significante, o rock só acontece mesmo quando existe um sopro de vida. No mundo ou defende-se ou agride-se pra sobreviver, por isso o M.I.R.P. marcou quem presenciou.

24 Comments

  1. Sem dúvida, o evento foi muito bom, mto animado, a galera animada em todas as bandas.
    Foi um dos melhores shows que eu já fui aqui en natal.
    Parabéns a todos

  2. Nem vou me prolongar pois sou muito suspeito pra falar 🙂

    Mais na minha concepção o M.I.R.P. foi um evento que marcou mesmo, o Som pefeito como eu nunca havia visto antes na Estação Ribeira (mesmo nos que eu organizei rsrsrsrsrsrss), a iluminação e efeitos de palco deram vida intensa aos shows, enfim… M.I.R.P. uma grata surpresa para o rock potiguar.

    Aguardando anciosamente pelas outras edições!!

    Abração e sucesso a todos!

  3. o M.I.R.P foi muito bom.
    e ninguém esperava nada, todo mundo falando que ia dar pouca gente, que não ia prestar, organizadores inexperientes e tudo mais…
    fez tudo direitinho, no que se propôs a fazer, o som realmente tava ótimo (:
    e que venham os próximos!

  4. o som foi massa!
    do caralho mesmo!
    foi massa ter um som em q proclamasse a idependência do rock potiguar!
    pois que tem muita banda q só quer ganhar!!!^^
    :p
    fazer o q né!

    mais o M.I.R.P. ta de parabêns foi muito massa!
    a istiga foi total!
    ehehe..

  5. O som foi …
    Organizado.
    Poucas pessoas, dava pra contar, mas o evento em si, foi muito bom!
    E quase que não escuto mais nada, porque o som tava muitoooo alto!
    se bem que era um som, mas tava muitoo alto!

  6. Bem suspeitissima para falar mais vamos lá , o evento saiu como o planejado , não foi fácil preparar o mesmo em 15 dias correria total , mais isto foi totalmente recompensado com o objetivo do show alcançado.
    A galera compareceu , as bandas fizeram seus shows estugadissimas , a organização fez o possivel para que todo mundo se divertisse.

    O som , a equipe , o lugar , as bandas , a iluminação , o público , o dia ,tudo conspirou para o sucesso do evento e a gente que trabalhou nele agradece a todos os presentes lá.

    Prometemos “Proclamar essa idéia ” por muito tempo ainda e já estamos a trabalhar para que o segundo seja ainda melhor.

    Sem mais para o momento , obrigada a todos .

  7. O M.I.R.P foi muito foda, estrutura d som e iluminação muito boua, público e shows intensos.

    Digno d um grande evento ^^

    Parabéns a todas as bandas e aos organizadores.

  8. Pode crer galera o evento foi muito irado, o M.I.R.P. nos mostrou que o Rock Potiguar tem potencial e valor para fazer um verdadeiro Rock digno, pois com pessoas inexperientes, sem tempo e uma ruela furada no bolso foram capazes de realizar este movimento que sinceramente, marcou a vida de muita gente que compareceu naquele 15/11/2007 na estação ribeira… gostaria de agradecer aos organizadores, a os atores, músicos, iluminadores, mesários, porteiros, bilheteiros, arrumadores, a o espaço da Estação Ribeira(cara muito legal a confiança dada) a força dada pela banda Grafith que confiou em nosso trabalho em realizar este movimento, a todos que compareceram, enfim, gostaria a agradecer a todos, gente basta querer que o Rock corre nas veias deste louco elefante…
    braços a todos!!!!
    vlw galera
    Yuhuuuuuuuuu…

  9. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    pode cre Aline…

    quantas pessoas tinham no M.I.R.P. ?…
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    homi a galera tava muito massa…

    deu pra istigar fuderozo!
    com aquele equipamento de som massa du krai!
    jogo de luz q deixava o kra cego e a fumaçinha gostoza..

    kkkkkkkkkkkk
    foi muito “fuooda'”
    mermão isso ta pegando mermo é?
    FUOODA…

    kkkkkkkkkkkkk

  10. Nossa, o M.I.R.P foi realmente muito mais do que o esperado!
    As bandas eram ótimas, e o som ajudou muito.
    As apresentações de teatro, retratando indignação em relação ao Rock na Rua, também foi muito prestigiado por todos ali presentes. Parabéns aí Juão!(E a menina que tava na bacia).
    Parabéns aos organizadore, e espero que venham muitos M.I.R.P’s pela frente, pois adorei as vendas das minhas trufas por lá, a galera gostou mesmo!
    Das próximas vezes teram mais trufas, levem o dinheirinho extra e se façam com as delicias da Jek Bombom. 🙂

  11. o show foi muito legal,o palco tava bom,bandas legais,cerveja preço normal auahauhaa
    e ak-47 foi massa,estigante mesmo,pena q muita gente ja tinha começado a ir embora

  12. Eu não parei pra contar mas acho que deu umas 67 pessoas se brincar menos… já vi aquele galpão mais cheião, não no movimento M.I.R.P …
    rsssss…
    acho que dava mais gente dentro daquele galpão.
    veremos se no proximo da mais pessoas.
    Particulamente eu não vou…
    tbm num faço falta, pq ninguém me conhece..
    enfim…
    espero que esse ano de muita gente…
    Boa sorte pessoal do M.I.R.P

  13. Aline minha filha vc tem sérios problemas com números 67? kkkkkkkkkkkkkkkkk , bem foram 257 pagantes , ai vc conta mais os convidados , pessoal das bandas , produção, o povo do teatro ….

    Eu te conheço de vista mais conheço , vc é amiga de Gil e de fato vc não faz falta jah que não gosta de som alto não sei oq vai fazer em show .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *