DOSOL E CENA POTIGUAR NO PODCAST INDEPENDÊNCIA OU MARTE (SP)

dosol_finaldo-festvial
Foto: Registro do Centro Cultural Dosol logo após o término da programação do Festival Dosol 2008. Bagunça e boas lembranças. Foto por Rafael Passos

O Dosol foi destaque no podcast da turma do Independência ou Marte, galera que trampa com música independente em São Carlos (SP). Na ocasião Foca deu grande entrevista por telefone explicando como funciona o trabalho do Dosol, festival, portal e ainda tocou quatro sons locais: Venice Under Water, Distro, The Sinks e Fewell.

Para conferir (download) o programa CLIQUE AQUI.

Para ir no blog dos caras  CLIQUE AQUI.

THE SINKS (RN) PREPARA EP COM CHUCK HIPOLITHO NA GUITARRA E VOCAL

focachuck-net
Foto: Foca e Chuck durante show do Sinks no Festival Dosol, por Nicolas Gomes

Fonte: Fotolog The Sinks

Muito bem. Passadas algumas semaninhas da saída de Dante do The Sinks (detalhes aqui: http://www.fotolog.com/thesinks/47810775 ) a vida continua muito bem obrigado.

Antes de postar novidades queria agradecer muito a Dante pelo tempo em que passou na banda e pela sua contribuição e entrega o tempo todo a frente da voz do The Sinks. Nem queríamos ir tão longe mas que bom que fomos!

O EP novo está sendo finalizado e vai se chamar “Green”. A capa tá sendo feita por César Valença (designer oficial do Dosol) e quem assume a voz e a guitarra é o ex-Forgotten Boy Chuck Hipolitho. Claro que o The Sinks (se é que vamos manter esse nome, mas acho que sim) vai ser levado na maciota, num ritmo muito mais lento do que estávamos planejando. Chuck é um cara ocupado e mora em SP eu também sou um cara com muitos afazeres e moro em Natal. Marcelo nem estava conseguindo cumprir nossa agenda antes da saída de Dante. Então deveremos sair em tour sim ainda esse ano e faremos vários shows por vez. Não teremos mais shows esporádicos como fazíamos antes. Na verdade vamos aproveitar nossas afinidades pessoais e musicais e dar forma a um projeto antigo.

Em muito breve divulgaremos o EP novo e começaremos tudo de novo (novamente). 100% em ação com todo mundo fazendo o que gosta. Lindo!

Eu e Marcelo (batera do Sinks) estamos fazendo testes para começar um novo projeto com nome provisório de Lovefuzz. Desejem-nos sorte!

Foca

ROCK POTIGUAR: DANTE NÃO É MAIS VOCALISTA DO THE SINKS

the_sinks_fest_dosol_2008_natal_rn__1_

Por Foca (baixista do the Sinks)

Dante anunciou na noite de ontem que não vai mais seguir e frente da guitarra e da voz do The Sinks. A decisão dele pode parecer surpresa para alguns mas eu, que estava diretamente ligado com o trabalho, já tinha notado que sua saída era eminente.

Ele sai porque não se identifica mais com a música que estávamos fazendo no trio, não houve brigas, discussões ou outro motivo qualquer para que isso tenha acontecido. Ele não estava mais comprometido com a banda (e nem com o trabalho que eu estava realizando “fora das quatro linhas” pelo grupo) e naturalmente pediu para sair. Simples e sem teorias psicológicas complexas.

A hora claramente foi a pior possível, coisa que ele podia ter evitado avisando da decisão logo na virada de 2008 para 2009 (ninguém resolve sair de uma banda do dia para noite). A tour de lançamento do novo EP teve que ser toda cancelada tanto na perna do Nordeste com na do Sudeste. 19 datas em 16 cidades (passei dois meses trabalhando para montar essa tour). Peço desculpas bastante constrangidas a todos os contratantes que perderam tempo agendando shows para nós e esperamos poder fazer essas pautas novamente em muito breve.

O The Sinks? Realizei um dos meus grandes sonhos no rock que era ter uma banda com Marcelo Costa. Ainda somos 2/3 do trabalho que, até segunda ordem, ainda quer seguir em frente, mesmo que num ritmo bem mais lento. No momento não sabemos como, porque a perda de um vocalista é sempre mais difícil de se reparar. Dante? Continua no Calistoga, no Estúdio Dosol e no Camarones Orquestra Guitarrística, mas nos dois últimos (projetos que eu encabeço) vai ter que mostrar (e demonstrar) dedicação, vontade e empenho para continuar, que é como deve ser dentro de qualquer trabalho.

Como o The Sinks – até a segunda ordem – não acabou, não faz nenhum sentido (já que Dante não se sente mais a vontade tocando conosco) em fazermos show de despedida ou qualquer outro evento dessa natureza. Então quem viu o trio em ação viu, quem não viu pode procurar no youtube, que nossa história em conjunto está toda registrada por lá. Se acharmos alguém que se encaixa no nosso perfil de trio será ótimo, se não montamos outro rock. Não é novidade para mim.

Valeu quem acompanhou a banda nessa formação e esperem o próximo hype! :)

COMO FOI? 3ª CHAMADA CARNAVALESCA DO ROCK EM NATAL (RN)

sinks-na-chamada
Foto: The Sinks tocando para o excelente público da chamada

Por Foca

César Revorêdo, novo gestor da Capitania das Artes, não contava com tanta gente segundo suas próprias palavras: - Achei que teríamos aqui umas 100, 150 pessoas mas o rock no carnaval dá muito certo. Mais de 2.000 pessoas apareceram para curtir a 3ª edição da Chamada Carnavalesca do Rock com gente de todos os tipos e idades. O rock carnavalesco entra de vez para o calendário cultural da cidade mostrando fôlego para crescer ainda mais.

A programação começou quase que pontualmente com o Los Costeletas Flamejantes fazendo um show dançante tocando rocks 50`s com muito Elvis e outros reis do estilo. A banda ainda precisar caprichar mais nas composições próprias que não tem a mesma força dos covers que eles tocam. Então fica a dica para trabalhar o lado autoral, porque ele é que garantirá um futuro mais promissor ao quarteto.

Os Bonnies vinham em seguida mas o baterista da banda teve um problema e só conseguiu chegar às 20h no local das apresetações tornando inviável a participação do grupo na Chamada.

chamada-publico
Foto: Mais de 2.000 pessoas compareceram ao rock do carnaval

Em seguida veio o The Sinks que está de malas prontas para duas grandes tours: uma pelo nordeste e outra pelo Sudeste até abril. O show, bastante despojado e rápido, funcionou bem no palco do carnaval, que verdade seja dita, melhorou bastante de estrutura do ano passado para cá, com uma melhor sonorização e a luz a cargo de Helisom e um palco mais bem feito. Além de dez músicas próprias tocadas quase sem intervalo o Sinks ainda tocou dois sons para celebrar o carnaval, um dos Ramones e outro do Nirvana. A molecada gostou é claro.

O Bugs fez um show bastante energético na sequência. A pegada roqueira que acompanha o grupo nos últimos shows permanece elevando o nível que já era alto. Na minha opinião foi o melhor show da noite junto com os Camarones.

O Camarones Orquestra Guitarrística subiu ao palco da Chamada depois de ter feito excelente apresentação no Recbeat em Recife. A confiança no trabalho misturada com a sequência de shows que o grupo vem fazendo tornam a banda madura e segura, mesmo com apenas um ano de atividades (completadas exatamente na chamada, que foi o primeiro show do grupo no ano passado). A parede de guitarras está cada vez mais sólida e o show mais intenso. Bela apresentação.

O Ak-47 foi o penúltimo grupo a se apresentar no rock carnavalesco. A banda foi outra que se apresentou pela segunda vez no carnaval já que foi representar o RN em Salvador no Palco do Rock. A performance do vocalista João pega um pouco desprevenida a platéia que ainda não os conhece. Compondo o visual lentes de cor, cabelo verde e um banho de tinta com maizena. Apesar da melhora e da mudança sonora do grupo (que adotou de vez o alternametal como sua maior influência) ainda é preciso arrumar um pouco a casa em alguns aspectos. O principal deles é a desafinação constante dos instrumentos que incomoda muito e atrapalha as músicas. Talvez um equipamento melhor que segure a onda da afinação baixa resolva. Sugiro uma pesquisa para sanar o problema que já é crônico no show do AK. Uma coisa legal da banda é que eles já formaram um público para suas peripércias, com gente cantando as músicas e acompanhando tudo que eles fazem.

Leno estava um pouco nervoso antes do show por conta de um possível conflito entre a programação que estava rolando e sua música mais calcada em rocks clássicos e bem menos pesadas. Mas seu nervosismo não se confirmou em problemas e o show rolou muito bem até o final inclusive recebendo um público mais velho que foi lá só para assisti-lo. Sem problemas de horário, com boa sonorização e um público grande e fiel a Chamada Carnavaleca do Rock mais um vez cumpre seu papel. Já é hora de preparar o que fazer no ano que vem. Até lá!

Amanhã tem cobertura em vídeo da chamada no DOSOLTV.

3ª CHAMADA CARNAVALESCA DO ROCK (AQUECIMENTO): ENTREVISTA – THE SINKS (RN)

sinks

O carnaval roqueiro potiguar tem dia e hora marcados. Vai rolar na terça de carnaval, 17h no Centro da cidade de forma totalmente gratuita no palco em frente ao Beco da Lama ao lado da prefeitura. Faremos um grande aquecimento do evento, trazendo entrevista com as bandas, vídeos, áudios e muito mais. Trazemos hoje a entrevista e vídeo com o pessoal dos THE SINKS. Confira:

Como anda a banda no momento?
Acho que estamos na nossa melhor fase. Estamos fazedo shows muito consistentes por onde passamos e nossa tour já tem mais de trinta datas até abril. Acho que toda banda sonha em pegar a estrada e fazer um show a cada de noite e isso é o que vamos fazer em boa parte do tempo até abril.

Também estamos com um ep novo que deve sair logo depois do carnaval. Vão ter quatro músicas novas, duas versões ao vivo e vídeos.

Por onde a tour vai passar?
São Paulo capital e 11 cidades do interior. No Nordeste já passou por João Pessoa, Natal e deve passar ainda por Aracajú, Maceió, Salvador, Camaçari, fortzleza e Mossoró, além de algumas cidades do interior do RN que ainda estamos confirmando.

E Power Trio, é mesmo a alma do rock?
Gostamos dessa formação, ela nos atrai, nos leva para frente e faz com que possamos soar como um só o tempo todo. Nunca estive tão satisfeito numa banda como agora.

Pro carnaval? Estão aprontando alguma novidade?
Ainda não vamos tocar nada do EP novo, isso vai ficar pro lançamento do trabalho que vai ser dia 06 de março no Castelo Pub junto com o Fewell e o Brand New Hate. O show deve ser o mesmo que estamos fazendo por aí. Rock varado de meia hora!

THE SINKS – YOU (AO VIVO NO FESTIVAL DOSOL 2008)
[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=ZNdb2YGQIgI]

COMO FOI? GRITO ROCK JOÃO PESSOA (PB)

grito-pb-mini

Vamos dois links bem legais para falar sobre o Grito Rock João Pessoa. O primeiro deles é do Lumo Coletivo que você lê clicando aqui:

http://lumocoletivo.blogspot.com/2009/02/boas-minha-gente-o-lumo-viajou-para.html

Tem também cobertura com fotos excelentes de Rafael Passos na Zona Punk. Leia clicando aqui:

http://www.zonapunk.com.br/news.php?id=10252

EDITORIAL PORTAL DOSOL: SAIBA ONDE É O SEU LUGAR

the_sinks_fest_dosol_2008_natal_rn__1_
Foto: The Sinks em ação no Festival Dosol, lugar adequado pro rock…

Por Foca

Existem algumas máximas nesse meio roqueiro (e de música no geral) que eu discordo fervorosamente. Coisas como “Quem tá no rock é para se fudê!” ou “Temos que está onde o povo está” na verdade só escondem a real falta de noção de nós músicos sobre o que estamos fazendo e para quem estamos apresentando nosso trabalho.

Nesses 15 anos na labuta roquística aprendi que é possível fazer quase tudo (bem feito), contanto que se tenha MESMO a real noção do que se está fazendo, coisa rara no nosso meio infelizmente.

O caso mais recente que serve de ilustração pro texto aconteceu comigo mesmo quarta passada à frente do trio que toco baixo: o The Sinks. Fomos convidados para fazer duas noitadas no bom pub local chamado Sgt. Peppers, uma casa no coração do bairro boêmio de Ponta Negra e com grande circulação das mais diferentes tribos. De prostitutas a playboys. O ambiente, nem um pouco receptivo a shows de rock como o que faço no meu grupo, já deixava margem ao que poderia acontecer. Eu inocentemente insisti que poderíamos tocar por lá já que outras bandas também tinham tido a mesma experiência.

Só que quando liguei meu baixo já percebi que estávamos no lugar errado e na hora errada. Como tocar onze da noite numa casa sem tratamento acústico sem incomodar vizinhos e outras casas fazendo o som que fazemos? Impossível. Internamente já sabia disso, mas até por falta de bom senso aceitei o convite generoso do dono da casa. Resultado: começamos o show, a casa pediu para baixar, baixamos um pouco, a casa pediu para baixar de novo, atrapalharia o nosso artístico e foi fim de show com menos de vinte minutos tocando. Tudo numa boa e sem stress. Só percebemos, casa e banda, que naquele dia não daríamos certo juntos.

Mais uma lição para aprender: jamais coloque seu grupo para tocar em ambiente que ofenda quem assiste ou ofenda a banda. Não soma em nada na carreira. Se tiver cachê envolvido, deixe bem claro pro contratante o que você tem a oferecer com seu trabalho.

Algumas dicas:

1) Se você notar que o show que você vai fazer não tem estrutura para segurar sua apresentação rolam duas opções: ou negue o show ou leve tudo. Exatamente para não se dar mau e quebrar a máxima citada lá em cima. O Dosol tem feito tours no interior e levado TUDO! Até P.A levamos para alguns shows e montamos e orgnizamos toda a sonorização. As condições são bem mais cansativas mas os shows são do jeito que a gente planeja nos ensaios.

2) Não ache que todo mundo vai gostar do rock que você faz em todos os lugares. Cada um no seu quadrado se aplica bem nessa condição. Por isso, em muito casos como convites para tocar em shoppings e happy hour para tocar mais baixo (vulgarmente conhecido como “pianinho”) invariavelmente dão errado. É melhor ficar em casa ou ir fazer outra coisa de produtivo com a banda.

3) Valorize seu rock. Se os convites que estão te fazendo são ruins, monte seu rock do seu jeito, num lugar adequado e sem ter que ficar dando satisfação para quem não entende do “pescado”. Minimiza problemas esse tipo de ação.

Foi bom escrever sobre isso para eu me lembrar porque em 2004 abri um lugar chamado Centro Cultural Dosol. Fikadik.

HOJE TEM THE SINKS (RN) NO SGT. PEPPERS PONTA NEGRA

sinks-topo

E continua hoje a Noite Dosol no Sgt. Peppers Ponta Negra. O The Sinks faz show especial, com set bem mais longo que o normal e ainda deve tocar algumas coisas do ep novo que está em fase final de gravação e mixagem. Ramones e Nirvana, bandas nas quais o grupo se inspira também fazem parte so set de hoje a noite. A programação começa às 21h. SÓ LEMBRANDO QUE A ENTRADA É TOTALMENTE FREE. Para ir esquentando para hoje a noite pegue os discos do The Sinks totalmente free download:

THE SINKS – IGNORED – EP FREE COMPLETO
http://www.mediafire.com/?vym62lauizx

THE SINKS – SUNSHINE (THE SPECIAL EP FOR THE DOSOL FESTIVAL 2007)
http://www.badongo.com/file/3730698

THE SINKS – HARDLIFE BLUES
http://www.dosol.com.br/?page_id=1233

THE SINKS – SUNNY DAYS (DOWNLOAD FREE)
http://www.mediafire.com/?lm2zd3ffwxt

ROCK POTIGUAR: THE SINKS (RN) GRAVA DISCO NOVO E DIVULGA EXTENSA TOUR PELO NORDESTE E SUDESTE

sinks-dosol
The Sinks em ação do Festival Dosol, por Nic Gomes

O trio potiguar The Sinks começa o ano com uma agenda intensa de atividades e com pespectivas bastante grandes pro ano de 2009. Para começar as atividades muito bem a banda grava nesta semana seu mais novo trabalho. No disco, ainda sem nome, terão quatro músicas novas e ainda takes ao vivo de “You” gravada durante o Festival Dosol, “Ignored” gravada ao vivo no Natal Rock Sessions e um cover do Mudhoney para “Who you Driving Now” que saiu na coletânea tributo ao Mudhoney lançada pela Monstro Discos.

Além do disco o grupo também grava as quatro músicas inéditas e mais uma entrevista que farão parte do vídeo release da banda que vai ser encartado no EP com extra. O The Sinks divulga também sua extensa agenda pros meses de fevereiro, março e abril. Confira as datas:

Quarta dia 11 de fevereiro – Sgt Peppers – Natal (RN)
Sábado, dia 14 de fevereiro – Grito Rock – João Pessoa (PB)
Domingo, dia 15 de fevereiro – Downtown Pub – Recife (PE)
Quarta, dia 18 de fevereiro – Centro Cultural Dosol – Natal (RN)
Terça, dia 24 de fevereiro – Chamada Carnavalesca do Rock – Natal (RN)
Sexta, dia 27 de fevereiro – Sgt Peppers – Natal (RN)
Sexta, dia 13 de março – Aracajú (SE)
Sábado, dia 14 de março – Salvador (BA)
Domingo, dia 15 de março – Camaçari (BA)
Sábado, dia 21 de março – Fest. Nordeste Independente – Natal (RN)
Sexta, dia 03 de abril – Club Belfiori – São Paulo (SP)
Sábado, dia 04 de abril – Mogi das Cruzes (SP)
Domingo, dia 05 de abril – Pindamonhangaba (SP)
Segunda, dia 06 de abril – Bragança (SP)
Terça, dia 07 de abril – Livraria da Esquina São Paulo (SP)
Quarta, dia 08 de abril – Sorocaba (SP)
Quinta, dia 09 de abril – Campinas (SP)
Sexta, dia 10 de abril – Limeira (SP)
Sábado, dia 11 de abril – Rio Claro (SP)

THE SINKS : YOU AO VIVO NO FESTIVAL DOSOL 2008
[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=ZNdb2YGQIgI]

GRITO ROCK JOÃO PESSOA ANUNCIA PROGRAMAÇÃO

O pessoal do Coletivo Mundo coloca João Pessoa mais uma vez no mapa dos festivias independentes com a realização do Festival Grito Rock por lá. O rolé acontece sábado, dia 14 de fevereiro, 20h no Intoca. Mais uma vez uma banda potiguar marca presença nesta edição do festival (em Porto de Galinhas foi o Dusouto) sendo representado pelo The Sinks. Segue o cartaz com todas as atrações!

flyer-grito-jp

NOITES DOSOL NO SGT PEPPERS PONTA NEGRA!

peppers-valendo

Logo após terminar a temporada de shows gerenciados pelo Dosol no Sancho Pub, embarcaremos para a rua de trás por duas quartas feiras. O rock continuará a rolar em Ponta Negra, só que desta vez no Sgt. Peppers. Seráo duas datas do Dosol por lá, a primeira dia é 04 de fevereiro com os Camarones e o segundo é dia 11 de fevereiro com o The Sinks.

Nos dias também tem discotecagem da Foca Rock Discoteque Crew e a entrada é free começando às 21h.

GO ROCK GO!

COMO FOI? FINAL DE SEMANA ROCK EM NATAL

publicocover

O Portal Dosol foi a três rocks diferentes neste final de semana. Dois deles foi produzido por nós e o terceiro foi produzido pelo Yuno no Castelo Pub. A peregrinação roqueira começou sexta com o Baile Barulhinho Bom recebendo novamente um bom público no Sancho Pub, mesmo com a chuva torrencial que lavou a cidade durante toda a sexta-feira.

Com os problemas da primeira edição do baile resolvidos, como o ar condicionado (fez até frio) tudo transcorreu muito bem nesse segundo dia do evento. Magão, fez um djset excelente e uma da manhã a Experiência Ápyus começou seu set dançante até às três da matina. O DJ Magão fez uns comentários legais que reproduziremos aqui:

“O Barulhinho Bom está sendo um sucesso absoluto, em duas sextas já passaram mais de mil pessoas pelo Sancho Pub. Na primeira que teve a participação da Orquestra Boca Seca e essa pessoa que aqui está fazendo esse comentário, viu uma cena bem legal em que lembra, tipo assim, uns 10 anos atrás quando comecei a discotecar na cena local no então Bar Astral, onde primava só música brasileira, voltando a ativa com discotecagem nacional, tem sido muito legal, e o público tem aparentemente gostado.

Nessa última sexta que teve a participação da Experência Apyus que além de ter feito um show impecável, o pessoal da casa também caprichou no que foi falho no primeiro dia da festa, tudo funcionou perfeitamente. Então podemos esperar na próxima sexta uma festa pra detonar com o tão aguardado show do Mundo Livre S/A e ainda com a participação do Camarones Orquestra Guitarrística e eu o ainda chamado Dj Magão. “

No sábado começamos a maratona rock com o Centro Cultural dosol que recebeu a 1ª edição do covernation de férias. Foram mais de 300 pessoas que praticamente lotaram o espaço para conferir algumas das melhores bandas locais prestando homenagens aos seus artistas preferidos. Uma foto e um comentário:

Venice Under Water mandando Incubus com propriedade. Legal!
venice-01

Fewell com reforço de Dudu do Venice tocando Foo Fighters. Muita energia no show mesmo com poucos ensaios.
foocover

The Sinks tocando Nirvana. Muita pressão, tosqueira, gritos, pulos do palco e rodas. Catarse da noite porque Nirvana é covardia!
sinksnirvana

Calistoga distruindo com Queens Of The Stone Age. Muitos decibéis acima do permitido. Fire!
calistogaqueens

Não tenho foto do Dr. Carnage que também arrebentou tocando Matanza. Resumo da ópera: baladinha nota 10. Semana que vem tem mais Covernation de verão.

Nossas andanças ainda não acabaram. No sábado, logo depois do Dosol rumamos pro Castelo Pub para o show dos Camarones, Os Bonnies e Julia Says. Nunca tinha ido no lugar que é bem curioso e legal. Trata-se de uma espécie de exposição a céu aberto de algumas obras numa arquitetura de um castelo. Tem um calabouço (onde também rolam shows) e vários “caminhos” dentro do espaço. O som da casa é “ok” e conseguimos ver duas atrações: os ótimos Pau e Lata que destilaram uns grooves de batucada e os dançantes e competetnes Camarones que fizeram a platéia balançar o esquetelo. Quase que proponho para as duas bandas fazerem uma jam juntas mas atrapalharia o andamento da noitada.

camaronescastelo

Não consegui ver o Julia Says e Os Bonnies mas quando sai no fim do show dos Camarones já tinham mais de 200 pessoas pela casa. Sábado gordo!

DOSOLTV: DOSOL TOUR EM SANTA CRUZ (RN)

O DOSOLTV vai mostrar com uma série de vídeos tudo o que acontece numa tour com bandas. Aproveitamos a ida de três grupos potiguares ao interior do RN e fizemos os dois primeiros episódios. O modelo da série de vídeos é bem parecido com um reality show, documentando todos os passos das viagens. Hoje a série DOSOL TOUR – ROCK NA ESTRADA passa pela cidade de Santa Cruz (RN) com as bandas potiguares The Sinks, Calistoga e Camarones Orquestra Guitarrística em ação.

DOSOL TOUR – ROCK NA ESTRADA
(EPISÓDIO DE HOJE: SANTA CRUZ- RN)

[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=xNHGiJpAucI]

DOSOLTV: THE SINKS AO VIVO NO FESTIVAL DOSOL 2008 (DVD OFICIAL)

Hoje no DOSOLTV mais uma banda potiguar em ação em vídeo retirado do DVD Festival Dosol 2008. Quem aparece por aqui é o The Sinks, com urgência da faixa “You”. Só lembrando que todos os vídeos da DOSOL IMAGE estão sendo carregados em alta qualidade no YOUTUBE e recomendamos que vocês assistam na melhor qualidade e com a tela inteira. Para faze-lo basta ir na página do vídeo e clicar na opção “assistir em alta qualidade” logo abaixo do player.

A direção e filmagem e da DOSOL IMAGE com edição de Ana Morena Tavares. Áudio por ROCKLAB (GO).

THE SINKS – YOU (AO VIVO NO FESTIVAL DOSOL 2008)
[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=ZNdb2YGQIgI]

THE SINKS (RN) TOCA HOJE EM RECIFE

O trio de rock potiguar The Sinks toca hoje em Recife no UKPub, a partir das 23h. O show é o quinto do grupo em Recife em quase dois anos de vida. O The Sinks vai encerrar o ano de 2008 com mais de 40 shows pelo Brasil e com participações em festivais importantes como o Abril Pro Rock (PE), Chamada Carnavalesca do Rock (RN), Virada Cultural (SP), Festival Ponto CE (CE), Festival Dosol (RN) e Tacabocanocd (GO).

Serviço:

THE SINKS(RN) NO UK PUB
Terça 25/11
Banda THE SINKS (RN)

DJ Salvador
Entrada – R$ 8,00
LADIES FREE ATÉ 22hs
CLONE DE CHOPP BRAHMA ATÉ 00HS.
O Uk Pub fica na Rua Francisco da Cunha, 165, Boa Viagem.

http://www.ukpub.com.br

The Sinks: http://www.myspace.com/rocksinks

FESTIVAL DOSOL 2008 (CONTEÚDO OFICIAL): THE SINKS E LUNARES AO VIVO

Escute agora mais duas pedradas gravadas ao vivo durante o Festival Dosol 2008. Quem aparece por aqui é o The Sinks (RN) com a faixa “You” e o Lunares com “Dance”. Só lembrando que o áudio do Festival Dosol foi gravado em altíssima qualidade e ficou a cargo do Estúdio RockLab (GO) e Estúdio Dosol (RN) com mixagens feitas por Gustavo Vasquez. Confira:

The Sinks – You ao vivo no Festival Dosol 2008

Lunares – Dance ao vivo no Festival Dosol 2008

Foto: Anderson Silva

FESTIVAL DOSOL 2008 (FALTAM 05 DIAS): AQUECIMENTO – THE SINKS (RN)

Natal, capital do Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil. É de lá que vem o The Sinks, grupo formado por três gerações do rock potiguar. Marcelo já foi baterista da lendária General Junkie, Dante que toca guitarra e canta em algumas formações do rock local e Foca, que além de fazer o baixo do grupo, capitanea o selo DoSol e canta no Allface.

Pela vontade de fazer um som direto que remetesse a grupos distintos e importantes como Husker Du, Ramones, New York Dolls e Nirvana, os três potiguares se juntaram para alguns ensaios com um punhado de composições para montar.

O resultado do trabalho está EP “Ignored” com quatro faixas poderosas e bem registradas. Além da faixa título o disco trás “Little Girl”, single que no primeiro dia de divulgação já foi parar nas rádios locais, “Mamma`s Way” uma ode ao som simples do Husker Du e Ramones e “Selfish World” onde o power trio se mostra a vontade no pré-punk e hard rock. O Ep ainda tem mais três musicas, “I’ll Go” uma homenagem aos Ramones, “Let you Down” e “Mamma’s Way”.

Rock no Nordeste do Brasil e rock alto! Você pode baixar e ouvir o Ignored EP dos Sinks totalmente grátis no site da Dosol Rrcords www.dosol.com.br

MYSPACE THE SINKS

[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=Qk7EemroQp4]

[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=LNBnFYUAWOc]

COMO FOI? DOSOL TOUR EM SANTA CRUZ E CAICÓ (RN)

Por Ana Morena

Eram 16h quando partimos para uma aventura pelo interior do Rio Grande do Norte, onde faríamos 2 shows e não sabíamos muito bem o que esperar. Para garantir pelo menos que os shows acontecessem de forma honesta, levamos uma verdadeira parafernália, com mini PA e tudo, eu disse TUDO que poderíamos precisar para fazer o show. O lugar só precisaria oferecer energia elétrica.

O primeiro show foi em Santa Cruz, cidade que fica 1h30 de Natal, e que tem em torno de 30 mil habitantes. Organizamos tudo, com ofícios para a delegacia e Casa de Cultura para que o rock acontecesse bonito por lá… o rock até aconteceu bonito, e falo já sobre o show. Mas infelizmente tenho que dar uma parada no texto para fazer um protesto contra o TOTAL abandono da Casa de Cultura de Santa Cruz.

Um prédio bonito, com estrutura de vários banheiros, mini-auditório, pátio, salas de exposição, bar… Mas tudo entregue às moscas, à imundice e ao descaso. Sem água, sem luz (graças a deus tinha energia, mas não havia UMA lâmpada nos bocais), sabe aqueles prédios abandonados que são invadidos por sem teto nos centros das cidades? Pronto. Só não tinham os sem tetos… Fica aqui o meu registro e a minha aflição para que o poder público se lembre de lá, com uma faxina e 200 reais aquilo ali vira uma Casa de Cultura de verdade, só ta faltando um pouco de interesse!

Interesse esse que não tivemos do “rapaz das chaves” de lá. Quando ele viu um bando de roqueiro cabeludo e tatuado, começar a adentrar com caixas enormes de som disse que ia “ali” e voltava já. E não apareceu mais. Então nós que fomos tranqüilos que teríamos um lugar para guardar os equipamentos depois do show e ir dormir na casa do Paulo, cara de lá que nos ajudou a organizar o esquema, nos vimos com todo o nosso equipamento dentro do pátio da casa de cultura, ao ar livre (pela primeira vez fiquei feliz por não chover no interior) sem ter como deixá-lo ali sozinho. O que fizemos? Arrumamos os nossos colchonetes ali mesmo, e dormimos olhando o céu mais bonito do mundo que é o céu do interior. Conseguimos ainda dormir até às 8h da manhã que foi quando a sombra do prédio acabou e o sol nos pegou de jeito!

Vamos ao shows. Às 21h30 começou o show com a banda Messias, banda local e bacana do Paulo, o cara que nos ajudou. O baterista da banda se garantiria muito numa banda de hardcore melódico, pegada boa e rápida do rapaz. O show foi correto, são um pouco verdes, principalmente nas letras das músicas, mas todo mundo tem que ser verde pra ficar maduro, então vamos aguardar.

Em seguida o The Sinks, sem o Foca que estava no Boom Bahia e com o Henrique Gela no lugar, fizeram um show excelente. A platéia, em torno de 50 pessoas, se divertiu muito. Na verdade o público de Santa Cruz ainda não sabe direito como curtir um show de rock. Eu acho que o que eles querem mesmo é se machucar, rolou muito “pogo” ao melhor estilo telecat, e as mulheres levavam e davam porrada sem nenhum constrangimento também, enfim….

O Camarones veio em seguinda. Como o som do Camarones é mais dançante e menos “pogante” a platéia dispersou um pouco. Uma parte ficou dançando, outra ficou assistindo e outra foi “se pegar” lá fora. Foi um ótimo show.

Aí veio o Calistoga e fez o show mais bacana da noite. Uma parte da platéia estava mais interessada nas atividades extra-rock e ficaram lá fora, mas o povo que ficou pode assistir Dante, meio sem voz (afinal, assim como Henrique ele tocou nas 3 bandas, sendo que cantou em 2 delas) viajar com Henrique em efeitos psicodélicos, solos de escaletas e muito mas, muito barulho na música “Sanity Seeker” que se mistura com “Quarantined” do At The Drive in. A platéia que estava lá chocou e eu gravei tudo, vai estar no doc que estou editando. Aguardem e confiem!

E foi isso, acordamos com o sol na cara às 8h, tomamos caldo de cana com pão, queijo, grapete, cuscuz e guisado na feira de Santa Cruz, a maior feira popular que já vi na vida. Arrumamos a van e fomos para Caicó. Esse é um outro capítulo que conto daqui a pouco.

Caicó, cidade de mais de 50 mil habitantes, já tem uma história no Rock. Além de uma cena que apesar de tímida já tem força e continuidade, a cidade é bem estruturada com locais para shows bacanas, equipamentos e pessoas que fazem o rock acontecer. Uma dessas pessoas é Ícaro, roqueiro que tava organizando o evento, que vive entre Natal e Caicó. Ele vai muito no Centro Cultural DoSol e sempre organiza umas caravanas trazendo a galera de Caicó pra ver shows em Natal.

Chegamos em Caicó por volta do meio dia, e pudemos notar com força o clima “desértico” que tanto falam de lá. Eu acho que passei o maior calor da minha vida, um clima quente e abafado e de noite esfria de um jeito que se vc não levar casaco vai bater o queixo. Fomos para o local do show passar som, um bar/restaurante chamado Dalmoro, e vimos um lindo por do sol nas serras do Seridó. No interior os shows acontecem ao ar livre, sem cobertura e sem medo de ser feliz, porque NÃO CHOVE MESMO. Passamos o som, que por sinal estava excelente, e fomos jantar. Às 22h já estávamos arrumadinhos de volta pro rock.

Às 22h30 começou o show da banda SPA (acho que é esse o nome), que substitui o Erro 404 que não pode fazer o show. Com um som punk rock, tocaram várias músicas do Gritando HC, RDP e Garotos Podres. Foi divertido e a platéia achou também! Logo em seguida veio a banda Mr. Porn, de Patos/PB. Galera gente fina e tal, mas assim como o Messias um pouco verde e com uma presença de palco muito estranha (o vocal ficou boa parte do show ajoelhado com o capuz cobrindo a cabeça), a platéia dispersou geral.

Então, subiu o The Sinks para fazer aquele show redondo de novo. Apesar de Henrique ter segurado a maior onda, e talvez tocar até melhor do que Anderson, a banda ficou sem graça sem a presença do Foca. Eu pelo menos achei, mais até por falta de um cara que falasse chamando a platéia. O público em torno de umas 120 pessoas gostou muito do show. Mas acho que faltou aquela interação banda-platéia.

E aí veio o Camarones que teve toda a maior interação banda-platéia da noite. A galera do interior se gosta da banda, vê o show colada no palco. E como o palco era baixinho, ficou quase claustrofóbico o negócio. Ícaro estava um pouco receoso com o fato de ser uma banda instrumental, já que, segundo ele, nunca tinha tocado uma banda assim por lá. Mas foi uma bela surpresa. As pessoas gritavam, aplaudiam, urravam, foi uma comoção. É como eu já disse, música divertida é a premissa básica do Camarones. E se não tem voz, tem 3 guitarras troando, a platéia se identificou na hora.

E finalizando a noite, o Calistoga fez um show mais legal ainda do que o de Santa Cruz. Daniel, que foi substituindo Fernandinho, se garantiu muito na bateria. Show redondo, Dante e Henrique se irritaram um pouco com a galera pedindo covers, o que é natural de um processo de fortalecimento de uma cena autoral. Com o tempo a platéia começa a curtir o repertório próprio das sem precisar do cover para se divertir.

Já eram mais de 5h da manhã quando comemos e guardamos tudo na Van. Então, com o dia claro, resolvemos colocar o pé na estrada e voltarmos para Natal, um pouco mais fortalecidos como banda, mas tarimbados como músicos e com muitas histórias para contar. Algumas pessoas podem até dizer “deus me livre de ir pro interior, que roubada”. Eu digo a elas que é o rock! E que só passando por essas e outras, conhecendo outras realidades e vendo que nem tudo são flores é que a gente pode dar o real valor ao que temos. Nada fortalece mais uma banda do que viajar, tocar em todo tipo de condição, e criar novos públicos. Tô doida pra fazer tudo de novo!