DIA MUNDIAL DO ROCK NATAL: RESENHA PORTAL ROCK POTIGUAR

REJECTS DMR NET
Foto: Rejects por Jomar Dantas

Por Shilton Roque

Certa vez o Senhor Sílvio Santos quis ser cantor, dentre as mais toscas músicas em sua fita k7 tinha uma passagem de uma delas que era mais ou menos assim: “amanhã é domingo e espero que seja um dia de sol”. Foi mais ou menos com este pensamento que estavam os rockeiros natalenses no nosso sábado chuvoso. O domingo surge então ensolarado e pronto para todo os festejos solidários (vale salientar e parabenizar a iniciativa) do Dia Mundial do Rock.

Vamos ao rock então. O sol ainda pairava forte na Ribeira quando o Dr. Carnage sobe ao palco para mostrar seu punk horror cantando em português. A banda apresentou um repertório baseado em seu recém-lançado EP, o “Estilo Brucutu”, e covers do Zumbis do Espaço, forte influência do som dos caras. Destaque para “O Padre Fudeus”. Apesar de ser uma das caçulas do evento a banda mostrou porque foi escalada para tal.

Após toda carnificina e relatos de filme B, já tínhamos umas 100 pessoas nas dependências, hora de correr então para o Armazém onde o Driveout (com nova formação) e sua fiel garotada estavam. O show começou com a nova versão de “Olhos Abertos”. Percebo a cada show que a banda está colocando um pouco mais de peso em suas músicas, sem deixar o lado melódico (por vezes até demais) de lado. Músicas como “Sua canção” e “Entorpecer” fizeram parte do repertório. Como de praxe encerraram o show com “Mais uma vez” e de uma forma um tanto quanto inusitada a banda foi descendo do palco um a um até ficar somente o Leo (baterista) fazendo um solo de bateria. Continuar lendo

COMO FOI? DIA MUNDIAL DO ROCK NATAL

dia-mundial-do-rock-publico-net
Foto: Mais de 1.500 pessoas prestigiaram o rock.

Texto e fotos por Foca

Numa noite histórica e com as bandas inspiradas, Natal viu sua data de comemoração do Dia Mundial do Rock se transformar de vez numa das maiores celebrações do rock local, reunindo mais de 1.500 pessoas e juntando cerca de 1,5 toneladas de alimentos variados que serão doados para algumas instituições necessitadas.

dia-mundial-do-rock-dr-carnage-net
Foto: Dr. Carnage em ação

Já no começo das apresentações a tarde/noite de rock prometia ser inesquecível como realmente foi. Às 16h30 o Dr. Carnage começou sua apresentação com músicas do primeiro EP da banda (que deve estar para download nos próximos dias aqui no Portal Dosol) misturando influências que vão de Raimundos a horror punk no geral. Show preciso, bacana e que serviu para esquentar o clima.

dia-mundial-do-rock-driveout-net
Foto: DriveOut

O DriveOut deu seguimento aos shows com um bom rock emo, mostrando o quanto a banda melhorou com o lançamento do seu mais recente trabalho. Os vocais são acertados, as guitarras bem postadas e a presença de palco da banda também impressiona. Para os amantes do estilo fica a dica: essa é uma das melhores bandas de Natal nessa praia. O Armazém Hall ainda não estava cheio, o que prejudicou um pouco a sonorização do espaço (que tem um teto de zinco que reverbera muito o som no ambiente).

dia-mundial-do-rock-bugs-02-net
Foto: Bugs mandando bala.

Quando o Bugs começou sua apresentação, o espaço separado para os shows (o mesmo do Festival Dosol) começou a lotar e o clima esquentou de vez até o final. O quarteto potiguar vem numa série de shows certeira, com músicas rock riffadas, guitarras se entrentando e com baixo escalado e sujo de Paolo fazendo a ponte para tudo isso. O resultado é sempre shows excelentes, um atrás do outro. Foi bom ver a alegria dos rapazes ao final das apresentações, principalmente porque o Bugs, mesmo sendo um sucesso entre os mais iniciados, nunca foi uma banda muito aclamada pela platéia “comum”, só que ontem a coisa foi diferente.

Já com cerca de 1.500 pessoas na rua e nos dois galpões (e com o som do Armazém Hall mais controlado), o Distro começou a mostrar seu ataque sonoro e o fez muito bem, mesmo com a tensão dos integrantes pela ausência “até os 45 minutos do segundo tempo” do vocalista e guitarrista Vinicius Menna. Fica sempre a dica para galera confiar nos horários dos shows, vi muita gente dizendo que perdeu esse ou aquele grupo porque não dava fé que ia começar na hora, e olhe que com a ausência de um dos grupos, o Fewell, começamos a programação com meia hora de espera.

dia-mundial-do-rock-rejects-04
Foto: Rejects, qual é a música? click por Clever César

Toquei com o Rejects e fizemos apenas nosso terceiro show. O som do palco estava excelente, a platéia insana, o set afiado e o show rolou bonito. De saldo um bumbo furado, um óculos quebrado, um cara com o joelho torcido e um Led Zepellin no final só para mostrar de onde viemos. Foi sensacional a sensação…

dia-mundial-do-rock-ak
Foto: AK-47

Com João todo pintado de vermelho, beijos comunitários em cima do palco, peso, gritarias e performances cênicas subiu ao palco o AK-47. Uns gostam bastante, outros não acham lá grande coisa, mas o que importa sempre é que o show dos jovens nunca passa desapercebido e isso é um mérito. Ontem, musicalmente o grupo estava bastante afiado e coeso. Só continuaram o clima de celebração que se abateu sobre o lindo entardecer na Ribeira.

dia-mundial-do-rock-os-bonnies-02-net
Foto: Lotação máxima para conferir Os Bonnies

Sem espaço para mais ninguém o quarteto Os Bonnies fez ontem a melhor apresentação de toda a noite, obrigando a organização a quebrar o protocolo e deixar o som rolar por quase 50 minutos (quando todas as bandas tocaram apenas 30). Isso se deu porque ficou impossível terminar com a festa que a banda fazia com a platéia. Foi catarse dançante e bêbada como poucas vezes presenciei no Dosol. Em dado momento a coisa saiu do controle total e fomos obrigados (até pelo excesso de público) a fazer dois shows simultaneamente.

Foi lindo: os metal banguers cantando com o Comando Etílico e os rockers dançando com Os Bonnies numa verdadeira celebração do rock n`roll, exatamente como imaginávamos. Briga? Treta? Nada disso aconteceu a noite inteira como é de costume em 95% dos shows de rock que presencio na cidade.

dia-mundial-do-rock-comando-01
Foto: Roda no Comando Etílico

O Comando Etílico fez o que se esperava de uma grande grupo de metal (hoje, o melhor da cidade na minha opinião): juntou as hordas metálicas, distribui riffs metal e vocais falsetes com maestria e botou todo mundo para bater cabeça. Todo mundo mesmo! Se no WarmUp do Festival Dosol a banda já tinha se saído bem mesmo abrindo a programação, imaginem ontem com a casa cheia? Go banguers!!!!

Para finalizar a noitada tivemos que fazer uma mudança de palco para segurar o enorme público que presenciou os shows, trazendo a aparesentação do Psicomancia que seria no Dosol para o Armazém Hall (que é três vezes maior). O Metal Core da banda rolou bonito também com um cover do Pantera agitando a platéia geral, lado b lado a, mosh pit e tudo o que um som desse embala. Vi gente com o nariz inchado ao final. A roda não é para os fracos, tem que se garantir ou arredar dela.

Fim de show. Fim de festa. Sensação de dever cumprido com a arrecadação dos alimentos e um grande evento que promete entrar pro calendário roqueiro da cidade assim como o Festival Dosol, CaosNatal e a Chamada Carnavalesca do Rock. Que assim seja. Valeu!

VEJA FOTOS NO FLICK DO DOSOL

Em breve fotos De Jomar Dantas (Coletivo Noize) e cobertura do DOSOLTV

COMO FOI? 3ª CHAMADA CARNAVALESCA DO ROCK EM NATAL (RN)

sinks-na-chamada
Foto: The Sinks tocando para o excelente público da chamada

Por Foca

César Revorêdo, novo gestor da Capitania das Artes, não contava com tanta gente segundo suas próprias palavras: - Achei que teríamos aqui umas 100, 150 pessoas mas o rock no carnaval dá muito certo. Mais de 2.000 pessoas apareceram para curtir a 3ª edição da Chamada Carnavalesca do Rock com gente de todos os tipos e idades. O rock carnavalesco entra de vez para o calendário cultural da cidade mostrando fôlego para crescer ainda mais.

A programação começou quase que pontualmente com o Los Costeletas Flamejantes fazendo um show dançante tocando rocks 50`s com muito Elvis e outros reis do estilo. A banda ainda precisar caprichar mais nas composições próprias que não tem a mesma força dos covers que eles tocam. Então fica a dica para trabalhar o lado autoral, porque ele é que garantirá um futuro mais promissor ao quarteto.

Os Bonnies vinham em seguida mas o baterista da banda teve um problema e só conseguiu chegar às 20h no local das apresetações tornando inviável a participação do grupo na Chamada.

chamada-publico
Foto: Mais de 2.000 pessoas compareceram ao rock do carnaval

Em seguida veio o The Sinks que está de malas prontas para duas grandes tours: uma pelo nordeste e outra pelo Sudeste até abril. O show, bastante despojado e rápido, funcionou bem no palco do carnaval, que verdade seja dita, melhorou bastante de estrutura do ano passado para cá, com uma melhor sonorização e a luz a cargo de Helisom e um palco mais bem feito. Além de dez músicas próprias tocadas quase sem intervalo o Sinks ainda tocou dois sons para celebrar o carnaval, um dos Ramones e outro do Nirvana. A molecada gostou é claro.

O Bugs fez um show bastante energético na sequência. A pegada roqueira que acompanha o grupo nos últimos shows permanece elevando o nível que já era alto. Na minha opinião foi o melhor show da noite junto com os Camarones.

O Camarones Orquestra Guitarrística subiu ao palco da Chamada depois de ter feito excelente apresentação no Recbeat em Recife. A confiança no trabalho misturada com a sequência de shows que o grupo vem fazendo tornam a banda madura e segura, mesmo com apenas um ano de atividades (completadas exatamente na chamada, que foi o primeiro show do grupo no ano passado). A parede de guitarras está cada vez mais sólida e o show mais intenso. Bela apresentação.

O Ak-47 foi o penúltimo grupo a se apresentar no rock carnavalesco. A banda foi outra que se apresentou pela segunda vez no carnaval já que foi representar o RN em Salvador no Palco do Rock. A performance do vocalista João pega um pouco desprevenida a platéia que ainda não os conhece. Compondo o visual lentes de cor, cabelo verde e um banho de tinta com maizena. Apesar da melhora e da mudança sonora do grupo (que adotou de vez o alternametal como sua maior influência) ainda é preciso arrumar um pouco a casa em alguns aspectos. O principal deles é a desafinação constante dos instrumentos que incomoda muito e atrapalha as músicas. Talvez um equipamento melhor que segure a onda da afinação baixa resolva. Sugiro uma pesquisa para sanar o problema que já é crônico no show do AK. Uma coisa legal da banda é que eles já formaram um público para suas peripércias, com gente cantando as músicas e acompanhando tudo que eles fazem.

Leno estava um pouco nervoso antes do show por conta de um possível conflito entre a programação que estava rolando e sua música mais calcada em rocks clássicos e bem menos pesadas. Mas seu nervosismo não se confirmou em problemas e o show rolou muito bem até o final inclusive recebendo um público mais velho que foi lá só para assisti-lo. Sem problemas de horário, com boa sonorização e um público grande e fiel a Chamada Carnavaleca do Rock mais um vez cumpre seu papel. Já é hora de preparar o que fazer no ano que vem. Até lá!

Amanhã tem cobertura em vídeo da chamada no DOSOLTV.

COMO FOI? FINAL DE SEMANA ROCK EM NATAL

publicocover

O Portal Dosol foi a três rocks diferentes neste final de semana. Dois deles foi produzido por nós e o terceiro foi produzido pelo Yuno no Castelo Pub. A peregrinação roqueira começou sexta com o Baile Barulhinho Bom recebendo novamente um bom público no Sancho Pub, mesmo com a chuva torrencial que lavou a cidade durante toda a sexta-feira.

Com os problemas da primeira edição do baile resolvidos, como o ar condicionado (fez até frio) tudo transcorreu muito bem nesse segundo dia do evento. Magão, fez um djset excelente e uma da manhã a Experiência Ápyus começou seu set dançante até às três da matina. O DJ Magão fez uns comentários legais que reproduziremos aqui:

“O Barulhinho Bom está sendo um sucesso absoluto, em duas sextas já passaram mais de mil pessoas pelo Sancho Pub. Na primeira que teve a participação da Orquestra Boca Seca e essa pessoa que aqui está fazendo esse comentário, viu uma cena bem legal em que lembra, tipo assim, uns 10 anos atrás quando comecei a discotecar na cena local no então Bar Astral, onde primava só música brasileira, voltando a ativa com discotecagem nacional, tem sido muito legal, e o público tem aparentemente gostado.

Nessa última sexta que teve a participação da Experência Apyus que além de ter feito um show impecável, o pessoal da casa também caprichou no que foi falho no primeiro dia da festa, tudo funcionou perfeitamente. Então podemos esperar na próxima sexta uma festa pra detonar com o tão aguardado show do Mundo Livre S/A e ainda com a participação do Camarones Orquestra Guitarrística e eu o ainda chamado Dj Magão. “

No sábado começamos a maratona rock com o Centro Cultural dosol que recebeu a 1ª edição do covernation de férias. Foram mais de 300 pessoas que praticamente lotaram o espaço para conferir algumas das melhores bandas locais prestando homenagens aos seus artistas preferidos. Uma foto e um comentário:

Venice Under Water mandando Incubus com propriedade. Legal!
venice-01

Fewell com reforço de Dudu do Venice tocando Foo Fighters. Muita energia no show mesmo com poucos ensaios.
foocover

The Sinks tocando Nirvana. Muita pressão, tosqueira, gritos, pulos do palco e rodas. Catarse da noite porque Nirvana é covardia!
sinksnirvana

Calistoga distruindo com Queens Of The Stone Age. Muitos decibéis acima do permitido. Fire!
calistogaqueens

Não tenho foto do Dr. Carnage que também arrebentou tocando Matanza. Resumo da ópera: baladinha nota 10. Semana que vem tem mais Covernation de verão.

Nossas andanças ainda não acabaram. No sábado, logo depois do Dosol rumamos pro Castelo Pub para o show dos Camarones, Os Bonnies e Julia Says. Nunca tinha ido no lugar que é bem curioso e legal. Trata-se de uma espécie de exposição a céu aberto de algumas obras numa arquitetura de um castelo. Tem um calabouço (onde também rolam shows) e vários “caminhos” dentro do espaço. O som da casa é “ok” e conseguimos ver duas atrações: os ótimos Pau e Lata que destilaram uns grooves de batucada e os dançantes e competetnes Camarones que fizeram a platéia balançar o esquetelo. Quase que proponho para as duas bandas fazerem uma jam juntas mas atrapalharia o andamento da noitada.

camaronescastelo

Não consegui ver o Julia Says e Os Bonnies mas quando sai no fim do show dos Camarones já tinham mais de 200 pessoas pela casa. Sábado gordo!

CENTRO CULTURAL DOSOL: HOJE TEM ROCK!

Tudo pode acontecer numa sexta-feira à noite. Cortando a rotina da capital do cakiado, às 22:00 horas no Centro Cultural Dosol, Ribeira acontece o encontro entre desregulados de vários tamanhos e lugares diferentes. Uma festa inusitada com ritmos efervescentes que terá inicio com os anfitriões:

Os Bonnies, desde 2000 que esses sujeitos sacodem as noites natalenses com seu Chuck Berry de pedreiro, uma espécie de rockabilly misturado com artimanhas criadas por eles mesmos. Vampiros, cupidos e adolescentes briguentos se misturam na psicodelia entre as guitarras e os teclados nessa suave e feroz banda que a cada dia recria sua maneira de existir e surpreende seus apreciadores, seja através da música ou de seus videoclipes, feitos com desenhos animados pelos próprios integrantes da banda.

http://www.myspace.com/osbonnies Continuar lendo

CENTRO CULTURAL DOSOL: AGENDA DOS PRÓXIMOS DIAS

Os dias serão intensos até o final do ano no Centro Cultural Dosol. Confira os shows. Amanhã tem os cariocas do Leela:

DOMINGO, DIA 16 DE NOVEMBRO
CENTRO CULTURAL DOSOL, 17H

LEELA (RJ)
DISTRO (RN)
FLIPERAMA (RN)
INGRESSOS- R$8,00

DOMINGO, DIA 23 DENOVEMBRO
CENTRO CULTURAL DOSOL, 17H

UZOMI (RJ)
OUTSET (RN)
LETAL (PB)
RAVANES (RN)
R$5,00

SEXTA, DIA 28 DE NOVEMBRO
CENTRO CULTURAL DOSOL, 22H

LEPTOSPIROSE (SP)
OS BONNIES (RN)
MAHATMA GANGUE (MOSSÓRÓ)
r$5,00

CAOSNATAL 2008
SÁBADO, DIA 06 DE DEZEMBRO, 16H

ANTISKEUMORRA
PSICOMANCIA
LEI DO CÃO (MOSSORÓ)
NAKARA (PE)
DFC (DF)

SÁBADO, DIA 06 DE DEZEMBRO
CENTRO CULTURAL DOSOL, 22H

ALMAH (SP)
SATISFIRE (PR)
METALLICA TRIBUTE (RN)
IRON MAINDEN TRIBUTE (RN)
INGRESSOS: R$15,00 (ANTECIPADO)

CAOSNATAL 2008
DOMINGO, 07 DE DEZEMBRO, 16H

OFFDAY
VENICE UNDER WATER
CALISTOGA
WHEN A LOTUS DRY
RAVANES
AK-47
MALDITA (RJ)

INGRESSO POR DIA – R$7,00

ESPECIAL: DISTRO E VITROLA LANÇANDO CD – A FESTA

CENTRO CULTURAL DOSOL
(HOJE) 25 DE OUTUBRO, 22H, 3 CONTO
QUINZENA CULTURAL XUBBA ESPECIAL DE LANÇAMENTO

MACACO BONG (MT)
OS BONNIES
DISTRO (LANÇANDO CD)
VITROLA (LANÇANDO CD)
FEWELL
ENTRADA + CD DISTRO = 5,00
ENTRADA + CD DISTRO + CD VITROLA = 10,00

IMPERDÍVELLLLLLLLL!!!!!

CONFIRMADO: MACACO BONG (MT) TOCA NO CENTRO CULTURAL DOSOL NESTE SÁBADO!

O trio instrumental cuiabano Macaco Bong está confirmado na festa de lançamento do cd do Distro e do Vitrola que rola neste sábado no Centro Cultural Dosol. a banda está no Nordeste fazendo vários shows e workshops e passa pela segunda vez em Natal.

O Macaco Bong é uma das grandes revelações da música brasileira e tem no seu currículo show por praticamente todos os grandes festivias nacionais além de já ter um disco lançado recentemente pela Monstro Discos, o excelente “Artista Igual Pedreiro“. Se a noitada de sábado no Dosol já era imperdível, imagine agora.

ESCUTE O MACACO BONG AQUI

ROCK POTIGUAR: XUBBA MUSIK PREPARA DOIS LANÇAMENTOS DE UMA VEZ

O selo potiguar Xubba Musik está preprando dois lançamentos de uma só vez. São eles Distro e Vitrola. as bandas já estão na fase final de gravação dos seus áudios no Estúdio Dosol e já partem no início da semana que vem para as mixagens.

A festa de lançamento dos dois discos também já está marcada e vai acontecer dia 25 de outubro no Centro Cultural Dosol com shows do Fewell e Os Bonnies, além das duas bandas. Confira um VT de lançamento do cds:

[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=-6wCBs-MrGA]

DOSOLTV: OS BONNIES – É SÓ VOLTAR ATRÁS

Hoje aqui no DOSOLTV vocês assistem mais um vídeo oficial que vem ancorando o lançamento do novo trabalho dos potiguares dos Bonnies. Dessa vez a turma aparece com o clip da música “É Só Voltar Atrás” do excelente disco novo dos caras. Confira:

OS BONNIES – É SÓ VOLTAR ATRÁS
[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=zeWZ68hRfAc]

HUGO MORAIS (RN): É O ROCK?

No fim de semana andei por três lugares. Na sexta, como já escrito abaixo, fui ver Os Bonnies com mais um monte de pessoas e creio que todas saíram satisfeitas.

No sábado fui no fim da tarde ver o lançamento do disco Natal Rocks. Lá no teatro Sandoval Wanderley. Lá tocaram Automatics, Montgomery, Bandini e Lunares. Todas fizeram bons shows. Destaque para o Bandini que fez um show terrível na seletiva do MADA e no teatro, tirando um erro, fez um bom show. A acústica do local deve ajudar. Aliás o teatro é pouco usado. Lá é muito bom, salvo não ter um bar. Como já cheguei mais ou menos, nem senti falta dessa vez. Jesuíno estava lá e me deu dois cds que em breve, em outro local, serão resenhados. Aguarde e confie. O disco Natal Rocks pode ser baixado clicando na capa ao lado.

A noite fui convidado para curtir a balada PUM! Festa organizada por rapazes purpurinados. Convidei Alexis Peixoto e fomos lá. Se não tivéssemos sido expulsos do Bar das Bandeiras era capaz de nem termos entrado. Findamos entrando, e como a situação estava complicada – entenda-se lotado até o talo – ficamos no anexo chamado B’52. Na verdade nem sei se ainda leva esse nome. Tomamos uma cerveja (!) enquanto batiamos uma papo e fomos embora. Antes disso ainda tivemos a oportunidade de relembrar Xuxa e New Kids On The Block (arrrrrrrgh). Mas a festa era isso mesmo, deixar todos os preconceitos de lado e se jogar. Como não consigo essa façanha, fomos embora. Mas a festa deve ter bombado até altas horas. Parabéns a Fernando Vasquez e trupe. Na próxima iremos de novo, ui.

Boas iniciativas e diversificadas. Hoje tem Bonnies na faixa na UFRN. Que os deuses do rock estejam presentes.

HUGO MORAIS (RN): SEDENTÁRIO

Desde o começo dos tempos as imagens ficam na nossa mente representando algo. Um símbolo. Qual seria o símbolo para sua banda preferida? A minha banda local preferida foi a General Junkie, hoje é Os Bonnies. Talvez não mude mais de idéia. Qual símbolo representa a banda para mim? Vários. Seu Aldo, Roni, uma garrafa de cachaça. O Paint Brush.

Poucas bandas locais, mentira, não consigo ligar uma banda local com um símbolo. A não ser Os Bonnies. Eles criaram em torno de si uma relação com desenhos, amigos e fãs, porque não, que fideliza. Os vídeos, as músicas, as camisas, o jeito, está presente nos shows, na atitude, no dia-a-dia. Talvez seja isso.

Muitas bandas tem integrantes que são advogados, designers, jornalistas, cabras de pêia, bancários, vagabundos e uma gama de ocupações, que você pode chamar de emprego, que não os liga a banda. Eles quando sobem ao palco, e tocam seus instrumentos, são outras pessoas. Muitos encarnam personagens até achando que aquilo pode mudar o mundo, mudar pelo menos uma pessoa que veja aquele show, capte a mensagem contida numa letra fraca, brega, rala que nem canja e seja iluminado. Tomado por uma verdade mentirosa que traga paz de espírito, alegria, e que mesmo momentaneamente venha mudar algo em sua vida medíocre. Continuar lendo

COMO FOI? OS BONNIES E COVERNATION NO DOSOL

Primeiro é bom dizer que muito mais que 500 pessoas estiveram no Centro Cultural Dosol esse final de semana. Número bem bom, até porque nos dois dias a rua também ficou cheia. Na sexta não pude ficar para ver Os Bonnies em ação, sabia que teria que arrumar a bagunça logo cedo no dia seguinte e resolvi abortar. Quem foi disse que foi histórico. Alexandre “Macaco” Bimbos comentou: Foca, parecia aqueles pubs doidões de Nova Iorque! Por aí já deu para sentir o drama né? Quando cheguei sábado no começo da tarde para organizar o bar para o Covernation eu juro: parecia que tinha passado o furacão Catrina dentro e na frente do bar.

Já o Covernation é assim, raramente fazemos e quando rola é para total diversão de quem vai. Todas as bandas fizeram shows bem legais assumindo o papel da sua banda preferida. Muita tiração de onda e hits que animaram as mais de 300 pessoas que passaram pelo Dosol ontem. Tudo foi destaque positivo menos o mega atraso do batera do Venice Under Water que quase põe o clima do rock a perder. Mesmo assim eles tambem fizeram um showzão. Para mim quem ganhou o troféu Emerson Nogueira foi o próprio Venice encarnando os californianos do Incubus.

For Fun!

HUGO MORAIS (RN): OS BONNIES ESTÃO DE VOLTA

Me desculpem as moças que acessam este pequeno espaço. Foi Tampinha, vulgo Arthur Rosa, que entoou essa belíssima letra ontem no show de lançamento do cd d’Os Bonnies. Muita gente lá no DoSol. Palco no meio do salão e todo mundo em volta. Sensacional. Só via a cabeça de Olavo e Rafael, porque a bateria estava mais alta. Chegando perto era possível ver todos. A pegada visceral ainda está lá, é verdade, eles não deixaram a selvageria de lado.

Tava todo mundo lá. Jesus dos rolé até filou caipirinha de Tampa. Fazia tempo que não via tanta gente num show se divertindo, cantando junto “emboraaaaaaaaa, e nunca mais voltou”. E lá pro meio, depois de tocar Tomando Café, Tão Calmo, Sem Noção, Porque você foi embora, Sopa de Drogas (!) e umas covers, Tampinha soltou: “o nome dessa música é chupa meu pau”. Comédia. Riso geral. Essa gala. E tocaram um rock rápido apenas repetindo a frase. Quando pensamos que eles estavam mais calmos, mais sérios, lá vem os bichos com essa…

O show, até onde deu pra ficar, foi sensacional. Boa volta. Local apertado, público em volta, a lenda que eles rendem mais assim continua. Agora é esperar que eles vendam bem esses discos e façam shows fora.

ESPECIAL OS BONNIES – A ENTREVISTA

Hoje tem o lançamento do cd d`os Bonnies no Centro Cultural Dosol e para falar mais sobre o disco e sobre como anda a banda fizemos uma pequena entrevista com Olavo, baixista do grupo. Acompanhem:

DOSOL- Quais são as principais mudanças desse trabalho novo para os anteriores?
OLAVO - Bem, acho que esse disco mostra um pouco mais da gente. Tem composições mais variadas e etc que mostram uma certa evolução sem dar nenhum “pulo do gato doido” e conserva umas músicas mais antigas também.

DOSOL – O que os vídeos somaram com o trabalho sonoro d’Os Bonnies e qual é a relação entre eles?
OLAVO - Os vídeos são nossa parte visual e acabam funcionando como videoclipes mais descompromissados e super baratos, já que somos nós quem fazemos as animações e imagens. Tudo de forma bem simples. Devemos fazer sempre coisas do tipo e ser um pouco mais multimídia em relação a criar coisas. Continuar lendo

ESPECIAL OS BONNIES – CLIPS

Os Bonnies lançam seu primeiro disco completo hoje no Centro Cultural Dosol num rock que vai rolar a partir de 22h. Viabilizado totalmente pela banda, trata-se de um trabalho excelente que vale a pena conferir, mesmo porque o grupo sempre foi um dos melhores do rock local desde seus primeiros acordes. Aqui no especial Os Bonnies vocês confere alguns clips em animação do grupo. Divirtam-se!

OS BONNIES – TÃO CALMO

[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=u8a7pKN1pDQ]

OS BONNIES – VENHA PARA MIM
[youtube:http://br.youtube.com/watch?v=7kRQWZFbbYM]

ROCK POTIGUAR: OS BONNIES LANÇAM NOVO TRABALHO

Os Bonnies lançam seu novo trabalho dia 29 de agosto no Centro Cultural Dosol dentro da programação das sextas que é um novidade pelo bar. O show mais intimista e perto do público ainda vai contar com a participação dos Los Costeletas Flamejantes e discotecagem é de André Costeleta e Augusto Costelela. Os ingressos das sextas são promocionais e vão custar R$3,00.

Noite para dançar e curtir uma das melhores bandas potiguares…