COMO FOI? 2º DIA DO ABRIL PRO ROCK 2011

karinaapredited

Por Macos Bragatto

A variedade de gêneros e estilos no dia do encerramento não chega a ser novidade no Abril Pro Rock, que caminha para comemorar as vinte primaveras em 2012. Mas nesse ano, a programação – que no papel parecia fria – se revelou bastante acertada, para deleite de um público estimado pela produção em 5 mil pessoas, quase superando o da noite do metal, que abalou as estruturas do Chevrolet Hall, na sexta. Ontem, não; nada de camisas pretas suadas: saiu a segmentação e entrou a diversidade.

Não que o rock não fosse bem representado, a começar pela surpreendente Karina Buhr. De líder de grupo de sonoridade regional-lugar-comum Comadre Fulozinha, a moça surge no palco como uma espécie de versão feminina de Iggy Pop glitter. Disposta a dar o sangue no palco e escorada por uma bandaça que tem Edgar Scandurra e Fernando Catatau nas guitarras, a cantora não pára um momento sequer, seja se rastejando feito iguana (olha o Iggy aí de novo), ou quicando no centro do palco. Já na terceira música, como o sugestivo título “Solo de Água Fervente”, Scandurra e Catatau solam que é uma beleza. Fora do Cidadão, cujo som é repleto de efeitos, o guitarrista vai muito mais além com seu instrumento de origem. Em “Mira Ira” uma verdadeira muralha de guitarras explode sobre o público, num riff duplamente carregado de distorção, e o final, com “Nassiria e Najaf” parece mesmo um apocalíptico fim do mundo. Numa palavra: visceral.

leia o resto aqui

ABRIL PRO ROCK 2011 ANUNCIA PROGRAMAÇÃO

Skatalites confirmados na programação.

Veja abaixo programação do Abril Prock Rock 2011:

15.04 – Chevrolet Hall
The Misftis (EUA)
D.R.I. (EUA)
Musica Diablo (SP)
Violator (DF)
Torture Squad (SP)
Facada (CE)
Desalma (PE)
Cangaço (PE)

16.04 – APR Club
Boss in Drama (SP)
MiM (SP)
Voyeur (PE)

17.04 – Chevrolet Hall
The Skatalites (Jam)
Arnaldo Antunes (SP)
Chicha Libre (EUA)
Eddie (PE)
Tulipa Ruiz (SP)
Holger (SP)
Karina Buhr (PE)
Mamelungos (PE)
Banda vencedora da promoção Bis Pro Rock

CLIPPING: FESTA LADO [R] NO DIÁRIO DE NATAL

Lado[R] // Festa marca 9ª edição do fanzine

O fanzine mais alternativo da cidade, o Lado[R], está com a nona edição pronta e a festa de lançamento promete muita alegria e boa música. Tudo isso a partir das 10h de hoje, no Centro Cultural DoSol, na Rua Chile, Ribeira. A edição é gratuita, mas a entrada custa R$ 5, com as atrações Camarones Orquestra Guitarrística, Firebug[SP], um dos maiores nomes do reggae nacional atualmente, além de discotecagem que contará com nomes como Alton Ellis, Desmond Dekker, Ken Parker, Toots & The Maytals, Slim Smith, The Aggrolites, entre outros. Esta edição do fanzine traz quadrinhos, reportagens, entrevistas, ensaio fotográfico, ilustrações e artigos. Com tiragem limitada, quem não tiver o seu exemplar em mãos, pode conferir, em breve, a versão digital no site do projeto.

Serviço

Festa de Lançamento do Lado[R]#9

Quando: hoje, às 20h, no Centro Cultural DoSol (Ribeira)

Quanto: R$ 5

Informações: www.ladoerre.com

COBETURA: APR CLUB COM MUNDO LIVRE, CAMARONES E BURRO MORTO

orquestra
Foto: Orquestra Contemporânea de Olinda numa das noites do APR Club por Aline Feitosa

Por Anderson Foca

RECIFE ANTIGO OU CARNAVAL DE OLINDA?
APR Club tem noite memorável com lotação de público e shows incensados

“Essa é uma noite especial e este é um show inesquecível para o Mundo Livre”, está foi a frase de Fred Zero Quatro, vocalista do Mundo Livre, depois do segundo bis que a banda deu no lotadíssimo APR Club na noite do último sábado. Só por esse começo de texto já dá para ter uma idéia do que rolou numa das principais noites da programação do Abril Pro rock 2010, desta vez realizada dentro de um galpão/espaço para mais de 1.000 pessoas bem no meio do Recife Antigo.

O novo formato do evento mostrou-se acertado e revigora ainda mais as ações do Abril Pro Rock nestes 18 anos de atividade e dá um recado claro para o Recife: A cidade precisa de uma casa como essa para escoar a incrível produção local fora do ambiente dos shows públicos (praxe na cena pernambucana).

Para quem não estava lá retrato o ambiente: um salão principal enorme em forma de hall com uma área aberta de lounge e um terceiro galpão que foi utilizado pros shows com um espaço reservado na lateral. Tudo decorado provisoriamente para receber as datas do APR Club (que terminam semana que vem com dois shows do Dead Fish).

Já cedo a Rua do Apolo parecia Olinda em dia de carnaval. Muita gente, camelôs, músicos, todos interessados em dividir o espaço com o Mundo Livre, Camarones Orquestra Guitarrística (RN) e Burro Morto (PB). O clima foi esquentando com a discotecagem certeira de Paulo André (boss do festival) e por volta da meia-noite o Burro Morto começou sua apresentação. Banda em atividade com tours você já nota a diferença de cara. Como o Burro Morto cresceu como banda desde a última vez que os vi. Os beats estão mais legais, a banda muito entrosado e o show fluindo bem, caindo como uma luva pro espaço do APR Club. Muito bom.

Por Marcel Albuquerque (pendriveblog)

GUITARRAS ALTAS E PESADAS
Já com o local absolutamente lotado o Camarones de Natal subiu ao palco com uma música incidental da Orquestra Brasileira de Música Jamaicana. Quando a banda começou a tocar foi que a coisa esquentou de vez. O som estava ótimo, com muita pressão e o show foi envolvendo a platéia que quando percebi acabou. Merecia mais tempo. Foi uma das apresentações mis instigantes de todo o Abril Pro Rock, o que se repetiria no domingo, quando a banda fez show extra no Nave para cerca um público seleto.

Fazia tempo que não via o Mundo Livre num ambiente fechado e em clima de pub. A fórmula contagiou banda e público. Foram dois longos bis e quase duas horas de apresentação dos reis do Recife, junto com a Nação Zumbi. Quase tudo estava lá. A voz pouca precisa e charmosa de 04 e a excelente formação nova da banda (é nova mesmo?) com destaque pro tecladista Léo D. Hits? Foram muitos. Me incomoda a mudança de arranjos de alguns deles, mas depois de quase 15 anos tocando as mesmas músicas dá para entender.

No final o público ainda foi presenteado com algumas músicas que vão fazer parte do disco novo do Mundo Livre que começa a ser gravado ainda esse semestre. Onde você estava sábado? Quem não foi pode se arrepender e ter perdido uma das mais poderosas  festas do ano no Recife. Será que tem jeito do APR Club continuar aberto? Seria um presente para cidade…

CAMARONES ORQUESTRA GUITARRÍSTICA (RN) EM RECIFE NESTA SÁBADO E DOMINGO

Seguindo extensa agenda shows que vai até o último dia de maio, o Camarones Orquestra Guitarrística parte para Recife neste final de semana com duas pautas na bagagem. Confira:

SÁBADO, DIA 24 DE ABRIL – ABRIL PRO ROCK CLUB
A banda se apresenta no APR Club, dentro da programação do Abril Pro Rock junto com Mundo Livre S.A. e Burro Morto. Os shows começam às 22h com ingresso a R$10,00 (meia). O APR Club fica na Rua do Apolo, 143.

Cartaz APR Club

DOMINGO, DIA 25 DE ABRIL – ESPAÇO NAVE
O Camarones se apresenta no Espaço Nave num evento organizado pelo local e pelo Lumo Coletivo. A programação começa às 16h com palestra de Anderson Foca sobre montagem e estruturação de tours com os shows em seguida. Também se apresenta a banda local Malvados Azuis. O espaço Nave fica na rua de Lima e os ingressos custam R$5,00

Flyer_Camarones_NAVE2

Veja agenda completa e ouça Camarones Orquestra Guitarrística no myspace:
www.myspace.com/camaronesorquestraguitarristica

COMO FOI? ABRIL PRO ROCK 2010 – SEGUNDO DIA

abril 04

HIPPIES FUNKEIROS COM SABOR DE POP
Nevilton e Vendo 147 se destacam entre os estreantes e Pato Fu e I.M.S dão as cartas entre os mais experientes.

Depois de um primeiro dia de casa cheia e ótimos shows, o segundo dia do Abril Pro Rock começou com boas expectativas e lineup diversificado para os fãs mais ecléticos. Só um convidado indigesto e já tradicional do festival teimou em atrapalhar os planos: a chuva! Recife foi castigada por uma chuva forte durante todo o dia e muito bairros ficaram sem energia e alagados. Mesmo assim, novamente cerca de 3.000 fãs compareceram ao segundo dia do festival.

Esse dia vai ficar marcado pelo começo de programação mais hippie de sua história! O Anjo Gabriel (PE) abriu os trabalhos com um som confuso e pouco entrosado. A proposta é até boa mas a realização não me convenceu.

Em seguida veio o Minibox Lunar do Amapá e o ataque hippie continuou. Trata-se de um som simpático, inspirado na sonoridade da Tropicália, temas nortistas e com forte flerte com os anos 70. Como toda banda nova, ainda carece de ajustes, mas o principal a banda já tem que são um punhado de boas músicas e o carisma da sua linha de frente formado por duas meninas.

Já experientes e rodados o Plástico Lunar conectou de vez o pequeno público do começo da programação com as viagens lisérgicas setentistas. Grupo de pegada forte, bons músicos e timbres certeiros, O PL representou muito bem a promissora cena sergipana. Muito bom.

abril 05

O representante potiguar dessa perna do Abril Pro rock foi o Bugs. Mesmo com um pequeno resquício de psicodelia que marcou o começo da sua carreira, o Bugs hoje está muito mais rock e sujo. Com uma sonorização apenas honesta a banca despejou bons riffs e deve ter agradado os fãs mais “cabeludos”. Belo show!

O também baterista do Volver, Zeca Viana, tem carreira solo sólida. Foi a primeira vez que o vi defendendo seu trabalho e gosto muito em cd. O show me pareceu confuso. O som não ajudou o grupo a passar sua mensagem e terminou ficando morna sua participação. É esperar outra oportunidade e ver o trabalho de novo.

Com o “case hippie/70” chegando ao fim foi hora do rock direto tomar conta do galpão do Centro de Convenções com o incrível show dos baianos do Vendo 147. Incrível porque são duas atrações em uma. A primeira é o tal clone drum que encanta quem prestar atenção no entrosamento e divisão do que é feito pelos dois bateristas. A segunda atração do grupo é o pacote de boas composições somadas a presença de palco dos integrantes. Um dos melhores shows de todo o Abril Pro Rock.

abril 06

Se vocês gostam de rock e ainda não conhecem o Nevilton, ainda vão conhecer! O trio paranaense é hoje o principal expoente da música pop rock brasileira e não tenho dúvidas de que vão crescer ainda mais. Que show certeiro! Composições pops, presença de palco insana, ótimos músicos, cantor carismático sem ser forçado. Uma bela apresentação, a melhor de todo o segundo dia do APR.

Os bons shows continuaram com o River Raid mostrando que hoje tem cacife para ser uma banda internacional. Show pesado com uma sonorização perfeita (a melhor de todo o festival). O Plastique Noir com seu som gótico reuniu fãs em frente ao palco e também respondeu a bronca muito bem.

Daí em diante os grooves dançantes começaram a fazer parte da programação do festival, já com bom público na arena. O já experiente cantor alagoano Wado mostrou talento e qualidade com um show preciso mas um pouco prejudicado pela sonorização. Em Recife, terra da malemolência, Wado se cria e no APR não foi diferente.

O aguardado show do 3namassa foi a decepção da noite para mim. Chato, amarrado, marrento e frio. Adoro o disco e ficou aquele vazio ao vivo. Uma pena. Os mexicanos do Instituto Mexicano Del Sonido entraram como ilustres desconhecidos no palco do APR e saíram ovacionados pelo público. Show excelente com destaque para o batera casca grossa deixando a coisa animada na “cozinha” de loops do grupo.

abril 07

E o Afrika Bambaataa? Para alguns o golpe da noite, para outros diversão funkeira de perder o juízo. Como eu não tava em clima de dançar achei só honesto. Mesmo caso do Agent Orange, valeu pela lenda.

Para encerrar a extensa (é ótima) programação do APR, os mineiros do Pato Fu fizeram o que fazem de melhor. Música pop de excelência com simpatia e competência. Para que mais? Trata-se da melhor banda mainstream nacional em atividade e uma das formações mais honestas e legais que o Brasil já teve. Quem quiser achar diferente tem direito, mas o histórico dos mineiros fala por eles.

O Abril Pro Rock segue a partir desta terça com APR Club, até o dia 30 de abril. Se a vibe for a mesma apresentada nos dois dias do Centro de Convenções é programa imperdível. Quem não foi ainda pode se redimir! Que venham mais 50 anos!

Fotos: Beto Figueiroa

COMO FOI? ABRIL PRO ROCK – PRIMEIRO DIA

abril 01

METALEIROS E PUNKS SAIRAM DE MÃOS DADAS
Claustrofobia e Ratos de Porão machucam ouvidos e crânios na primeira noite do Abril Pro Rock

Ah! Como é bom ver o Abril Pro Rock no Centro de Convenções novamente! Assim que entrei, bem no começo da programação desta 18ª edição, já senti o clima diferente, roqueiro, sem a prepotência anti-climax do Chevrolet Hall, local das duas últimas edições.

Com espaço para receber confortavelmente cerca de 5.000 fãs, o lugar foi tomado por roqueiros, curiosos e principalmente metaleiros e punks no primeiro dia da programação. Não temos dados oficiais, mas a horda deve ter chegado perto das 3.000 pessoas, deixando os shows animados e o mosh pit tenso!

Perdi o show do Inner Demons Rise (PE), mas consegui  ver o Alkimenia (PE). Trata-se de uma boa banda de metal, sem muito diferencial. Talvez a falta de cancha para grandes palcos tenha atrapalhado um pouco a apresentação, mas nada que comprometa o trabalho dos caras pro futuro.

Meio fora da proposta da noite o Muller Monster Mafia (SP) fez um show de surf music divertido. Lógico que alguns metaleiros mais chiitas protestaram. Faz parte.

abril 02

Aí veio o melhor show da primeira noite do Abril Pro Rock: Claustrofobia de São Paulo. Nos primeiros acordes do pesadíssimo grupo paulista uma legião de fãs correu para frente do palco demonstrando que a banda tem público por aqui. Foi meia hora de guitarras certeiras, vocal pesado, bateria e insana e excelentes músicas. Show maiúsculo de uma das melhores bandas do metal nacional.

Mais uma banda pernambucana veio na sequência, os competentes Terra Prima. Achei a apresentação morna e chata, encerrada por um cover equivocado do Black Sabbath. O Eminence (MG) veio na sequência com uma pegada de metal moderno, que fez a fama do grupo na década passada. Depois de um bom tempo de ausência dos palcos e volta pareceu fazer bem aos caras com um show certeiro e correto pros amantes do estilo.

O primeiro gringo do Abril, o Agent Orange, fez o que se esperava deles: surf rock para divertir sem pensar muito. Para quem é fã deve ter sido bem bacana, para quem não é deve sido chato os 40 minutos de música que o americanos mandaram. Particularmente gostei do que vi, mas não me emocionou. Vale pelo registro de ver um nome lendário ao vivo.

Por Rafael Cortez

O Varukers subiu ao palco do APR com a responsabilidade de matar a curiosidade de fãs que nem tinham nascido ainda quando o grupo começou. Foi uma apresentação quente de uma banda respeitada e fiel aos seus ideais. Belo show!

abril 03

Com um moshpit tenso e uma das apresentações mais arrebatadoras de todo o festival, o Ratos de Porão fez o que se esperava deles: tocou rápido e pesado. Ratos e Abril Pro Rock parecem sem a combinação perfeita e mais uma vez isso foi comprovado. Teve de tudo na roda, até um extintor para apagar o fogo da juventude foi acionado!!!

A audiência continuou boa para o último show do dia com o ex-Iron Maiden Blaze Bayley encerrando o primeiro dia do Abril Pro Rock. O show, todo baseado na carreira solo do cantor, é uma aula de metal para os mais jovens. Sem afetação, com ótima interação com o público e grandes músicas. Claro que algumas canções do Iron presentearam os fãs mais saudosos.

Foi um excelente primeiro dia que valeu cada centavo aos que foram ao pavilhão do Centro de Convenções.

Fotos: Beto Figueiroa

ENTREVISTA: PAULO ANDRÉ, PRODUTOR DO ABRIL PRO ROCK

Entrevista com Paulo André, produtor do festival Abril Pro Rock

Por Luciano Matos, Slavador/BA

pauloandre_02

- O Abril está copletando 18 anos, queria que falasse qual a proposta do festival esse ano, qual a proposta do festival e quais as novidades?

Paulo André – A proposta de 2010 está sintonizada com a dura realidade do Recife e de PE. Estamos atuando nos gargalos da cidade. Por exemplo, fizemos uma parceria com a Sec. Especial da Juventude e Emprego do Gov. de PE, para realizarmos uma série de capacitações voltadas pros jovens com interesse nesse mercado. Foram 240 vagas com mais de 800 inscritos, sucesso absoluto. Fiquei feliz em ver tanta gente na cidade querendo aprender e entender esse novo mercado da música. Aqui não temos clubs, não temos rádio e não temos mercado. Criamos o APR Club, pelo menos em Abril durante 7 noites, teremos um espaço de médio porte com boa programação, bom som, bom ambiente, sendo uma boa opção de diversão que atualmente não existe na cidade do Recife. Além disso, dobramos a quantidade de bandas na sexta e aumentamos em 50% as bandas do sábado, sendo 5 atrações internacionais nos 2 dias de APR, além das atrações do APR club. Continuar lendo

ABRIL PRO ROCK COMEÇOU ONTEM E SE ESPALHA PELO MÊS DE ABRIL!

Abril Pro Rock aposta em nomes internacionais e em revelações da nova safra da cena brasileira

apr2010-planob-200pxFestival pernambucano realiza 18ª edição durante todo o mês, mas com os shows principais nesta sexta-feira e sábado.

Por Luciano Matos, Salvador/BA

Em poucos anos, o Festival Abril Pro Rock, em Recife, passou de palco de resistência do rock local para espaço de revelação de nomes para gravadoras. Com a crise da indústria e o fortalecimento do mercado independente, se consolidou como um dos principais eventos para apresentação da nova cena brasileira.

Com esse histórico nas costas e a responsabilidade de continuar interessante, o festival comemora seus 18 anos com um evento espalhado durante todo o mês em Recife, mas com foco nos dias 16 e 17, quando recebe alguns dos nomes mais relevantes da música atual no Brasil e convidados estrangeiros.

O ex-Iron Maiden é um dos destaques do festival.O ex-Iron Maiden Blaze Bailey é uma das atrações do festival

De volta ao Pavilhão do Centro de Convenções, o festival será palco nos dois dias tradicionais de mais de 20 bandas nacionais e internacionais. Entre os gringos, o ex-vocalista do Iron Maiden, Blaze Bayley; a banda americana Agent Orange, umas das primeiras a misturar punk com surf music, e a inglesa The Varukers, que realiza turnê mundial comemorando 30 anos de punk hardore. Eles se apresentam no primeiro dia do evento, sexta, tradicional noite voltada para o rock pesado.

No sábado, o festival recebe um dos fundadores do hip hop e do funk, o DJ e produtor norteamericano Afrika Bambaataa, e o Instituto Mexicano Del Sonido, projeto do DJ e produtor mexicano Camilo Lara, que funde música popular com programações eletrônicas.

Se os estrangeiros ajudam a tornar o festival atraente, são os nomes da música brasileira contemporânea que o tornam atualizado e ainda mais interessante. Continuar lendo

CLIPPING: CAMARONES E BUGS NA TRIBUNA DO NORTE

clipping tribuna do norte 1504

clique na foto para ver maior!

http://tribunadonorte.com.br/noticia/abril-para-o-rock-potiguar/145619

O Abril Pro Rock, um dos mais respeitados festivais de música do Brasil abre sua décima oitava edição amanhã, na capital pernambucana. Além dos nomes de peso como Pato Fu, Ratos do Porão, Mundo Livere; o festival dá passagem para duas bandas potiguares: Bugs e Camarones Orquestra Guitarrística. Além de vários dias de música, o Abril Pro Rock também se propõe a movimentar a cadeia produtiva da música com workshops voltados para a criatividade e economia da cultura. Ao todo serão mais de dez dias de atividades e mais de 44 artistas do Brasil e do mundo em ação.

Em várias edições do Abril Pro Rock houve participação de bandas potiguares, geralmente em palcos alternativos. O Camarones Orquestra Guitarrística é a estreante da vez e se apresenta no dia 24 de maio, junto com o Mundo Livre (PE) e Burro Morto (PB). “O Abril Pro Rock é um dos festivais mais importantes da música brasileira, uma ponta de lança para uma carreira mais sólida. Participar de um evento como este é inserir um excelente item no currículo. Além disso, o evento é uma vitrine para os novos talentos”, fala Anderson Foca, tecladista da banda, que tem como Anderson Foca (teclado e efeitos), Leo Martinez (guitarra), Karina Monteiro (guitarra), Ana Morena (baixo) e Xandi Rocha (bateria).

A banda, que faz um som instrumental baseado no rock e em temas dançantes, vem cumprindo extensa agenda de shows com datas marcadas em festivais como Bananada (Goiânia), Festival Fora do Eixo no Circo Voador (Rio de Janeiro), Festival Goma (Uberlândia), Virada Cultural de São Paulo, entre outros excelentes shows.

Até agosto a banda chega com sua turnê em todas as regiões do país (menos o Norte) e segue para apresentações no Chile e na Argentina. O lançamento do disco novo do Camarones Orquestra Guitarrística está marcado para o dia 08 de maio na Casa da Ribeira em Natal. “O lançamento oficial será dia oito, mas estrearemos o repertório do CD no Abril Pro Rock com músicas de nossa autoria, que é a característica da banda”, diz Foca. Os CDs não serão distribuídos em lojas, o que será feito exclusivamente durante os shows, mas quatro músicas do novo CD podem ser ouvidas pelo www.myspace.com/camaronesorquestraguitarristica.

Marinheiro de segunda viagem no festival, o Bugs se apresenta já neste sábado, dia 17 de abril. A banda é formada por Paolo (baixo), Augusto (bateria), Denilton e Dimetrius (guitarra). Com influências variadas, que vão de Blur a MC5, a banda ganhou ótimos elogios da mídia especializada com o lançamento do seu primeiro cd em 2003, homônimo. A partir daí a banda recebeu convites de alguns dos principais festivais do país, como Porão do Rock, Feira da Música Brasil e Abril Pro Rock.

Em 2009, a banda lançou seu quarto trabalho, o EP Eli, Lama Sabachthani. Esse trabalho, a exemplo dos primeiros discos da do Bugs, recebeu criticas positivas em diversos blogs do segmento. Algumas de suas músicas podem ser acessadas no www.nagulha.com.br.

Serviço

Bugs no Abril Pro Rock Sábado, dia 17 de abril, 18h – Centro de Convenções, Recife/PE. Camarones Orquestra Guitarrística no Abril Pro Rock Sábado, dia 24 de abril, 22h – APR Club, Recife/PE

DOSOLNET LABEL: BUGS – SINGLES

O quarteto potiguar Bugs acaba de lançar singles especiais para engoradar a passagem do grupo pelo Abril Pro rock 2010. As duas músicas inéditas da banda já deixam margem para o que vem por aí no próximo trabalho do potiguares: rock alto e pesado co letras viajnates inspiradas no cinema e na literatura. Vale a pena, por isso baixe agora!

Bugs – Singles (0)

ENTREVISTA – BUGS (RN)


Bugs nos camarins do Festival Dosol por Nicolas Gomes

Por Jezuíno André, João Pessoa/PB

1- Porque passaram tanto tempo para lançar o terceiro trabalho e, agora, poucos meses depois, lançam duas músicas inéditas?
Paolo - Cara, teve a troca de componentes na banda, viramos um quarteto. Levou um tempo para tomar corpo. Notei que compor para um quarteto é diferente de fazer música para um trio.
Dimetrius - Acho que foi complicado pros caras perderem o batera prestes a gravarem um disco novo. Augusto entrou na banda já com a missão de graver o segundo disco, isso tudo foi em semanas. Eu só entrei na banda quando o disco tava sendo lançado, na verdade no show de lançamento. Então, passamos um tempo tocando aquele disco, naturalmente. Depois relaxamos e fomos compor coisa nova. E esse período foi longo. Mas nunca demos uma pausa como quarteto.

2 – Nessas novas músicas o som tá mais pesado e denso, aliviando mais na psicodelia, mudança marcante. Há algum motivo para tal guinada?
Paolo - Não queríamos repetir uma fórmula. Mas talvez não fujimos tanto da psicodelia dos álbuns anteriores como se fala por aí. Ainda tem muito do Bugs do começo alí.
Dimetrius - Pois é, também acredito que não foi uma mudança tão drástica. Apenas tem mais um elemento, uma outra guitarra e um batera que talvez tenha uma pegada mais direta que o Joab (batera fundador do Bugs).

3- Por falar nisso, o que estão escutando de interessante no momento?
Paolo – Eu particularmente estou ouvindo muito Johnny Cash, Nick Cave and Bad Seeds, Queens of the stone Age, Hermano e Walverdes.
Dimetrius - Agora, as bandas que tão passando pela minha cabeça são Wilco, Pelican, Pavement, o novo do Eddie é pesadíssimo. O Flaming Lips destruindo o Dark Side do Pink Floyd também é muito doido.

4 – O título do EP corresponde as últimas palavras de Jesus na cruz. Alguma religiosidade ou conteúdo místico nesse trabalho?
Paolo -
Não tem nada com relogiosidade e sim com a condição humana atual. Estamos cada dia que passa enfiados mais e mais na merda e acreditamos que estamos evoluindo. É claro que ainda não conseguimos desfrutar de uma vida limpa, sadia.

5 – Como tem sido a repercussão do novo disco e da nova formação da banda? Poderiam inclusive comentar sobre a inclusão de outra guitarra de timbragens mais hard.
Paolo - Tudo está indo muito bem com essa formação. Boas resenhas, estamos tocando em alguns festivais, um número maior de pessoas gostando e respeitando o nosso trabalho. Creio que somos um grupo bem melhor hoje, mais resolvido. Uma outra guitarra criou a possibilidade de reproduzir melhor os álbuns anteriores e dar mais peso e sofisticação aos novos arranjos das canções criadas agora.
Dimetrius - O engraçado é que essa formação já tem quase 4 anos. Entrei em 2006, tocamos um bocado, Festival Mundo, Virada Cultural de SP, MADA, Dosol (2 vezes) com essa formação. Só que chegou uma hora que tinhamos de parar e compor.

Quanto a repercussão do ep, o trabalho de divulgação que a Mudernage (selo potiguar) fez nos dois primeiros discos foi exemplar, chegamos em muitos lugares e ajudou a deixar no ar o nome da banda. Como faziam dois anos que não lançavamos nada, muita coisa tinha mudado, resolvemos jogar tudo num link e vê no que dava. Inclusive a forma de distribuir música na internet hoje é algo bem mais comum que tempos atrás. A nossa música acabou chegando mais rápido no nosso público. Hoje todo mundo tem twitter, né?

6 – E como está o atual cenário rock no Rio Grande do Norte?

Paolo - Mais pesado, mais organizado, vivo e produtivo.
Dimetrius - Tá mais fácil pra todo mundo. Gravar é mais fácil, tocar em som bom tá mais acessível. O C.C. Dosol já é referência. Bagulho tá foda. Camarones e Calistoga rodando o Brasil. A gente já saca que um povo de fora curte o Dusouto, gosta do Bonnies. Muita gente escrevendo (acessem o http://www.oinimigo.com), fomentando.

7 – Quais as perspectivas futuras da banda?
Paolo - Fazer o máximo de shows possíveis e continuar gravando, só que agora com mais regularidade.
Dimetrius - Queremos tocar bem esse ano pelo Nordeste. Estamos tentando fechar algumas datas ainda esse semestre em SP. Vamos ver o que rola. Por enquanto, queremos divulgar o ep e esse single novo que tá saindo agora, nas vesperás do Abril Pro Rock.

www.bugsrock.com.br
www.twitter.com/rockbugs
contatobugs@gmail.com

RELEASE OFICIAL – PARTICIPAÇÃO POTIGUAR NO APR 2010

bugs dosol01
Bugs por Nicolas Gomes

BANDAS POTIGUARES TOCAM NO ABRIL PRO ROCK 2010

Bugs e Camarones Orquestra Guitarrística são os representantes potiguares do festival que começa nesta sexta em Recife

Começa nesta sexta em Recife, a 18ª edição do Abril Pro Rock, um dos mais respeitados festivais da música do Brasil. Além de atrações de peso como Afrika Bambaataa, Pato Fu, 3 na Massa, Ratos de Porão, entre outros destaques, o festival reserva um ótimo espaço para a cena potiguar, escalando na sua programação Bugs e o Camarones Orquestra Guitarrística.

Além de vários dias de evento, o Abril Pro Rock ainda estimula a cadeia produtiva da música com workshops voltados para a criatividade e economia da cultura. Ao todo serão mais de dez dias de atividades e mais de 44 artistas do Brasil e do mundo em ação.

camarones nagulha
Camarones por Nicolas Gomes

PARTICIPAÇÃO POTIGUAR
O Bugs já se apresenta no Abril Pro rock nesta sábado, dia 17 de abril. A banda surgiu em 2002 como um trio, formado por Paolo (baixo), Denilton (guitarra) e Joab (bateria). Com influências variadas, que iam de Blur a MC5, a banda ganha ótimos elogios da mídia especializada com o lançamento do seu primeiro cd em 2003, homônimo. A partir daí a banda recebe convites de alguns dos principais festivais do país, como Porão do Rock, Feira da Música Brasil e Abril Pro Rock. Em 2006, nas vésperas do lançamento do segundo trabalho, Joab deixa a banda e Augusto assume o posto. Além dessa mudança, a necessidade de mais uma guitarra levou a banda a convidar mais um músico pra banda, o escolhido foi Dimetrius.

Como quarteto o Bugs ganhou peso e passou por mais alguns festivais como o Mundo(PB), DOSOL (RN), MADA(RN) e Virada Cultural de São Paulo(SP). Em 2009, a banda lança seu quarto trabalho, o EP Eli, Lama Sabachthani, com mixagem e masterização de Gustavo Vazquez(ROCKLAB e MQN/GO). Esse trabalho, a exemplo dos primeiros discos da banda, recebeu ótimas criticas em blogs, da Revista 100%Skate e da Rolling Stone Brasil. Essa semana, a banda lança mais duas músicas inéditas, no portal NAGULHA (www.nagulha.com.br) e se apresenta pela segunda vez (a primeira foi em 2006, na eliminatória Claro Que É Rock) em uns dos festivais de música do país, o Abril pro Rock.

O Camarones Orquestra Guitarrística se apresenta no Abril Pro Rock dia 24 de maio, junto com o Mundo Livre (PE) e Burro Morto (PB). A banda, que faz um som instrumental baseado no rock e em temas dançantes, vem cumprindo extensa agenda de shows com datas marcadas em festivais como Bananada (Goiânia), Festival Fora do Eixo no Circo Voador (Rio de Janeiro), Festival Goma (Uberlândia), Virada Cultural de São Paulo, entre outros excelentes shows.

Até agosto a banda chega com sua tour por todas as regiões do país (menos a Norte) e segue para apresentações no Chile e na Argentina. O lançamento do disco novo do Camarones Orquestra Guitarrística está marcado para o dia 08 de maio na Casa da Ribeira em Natal.

SERVIÇO
Bugs no Abril Pro Rock
Sábado, dia 17 de abbril, 18h
Centro de Convenções, Recife/PE

Camarones Orquestra Guitarrística no ABril Pro Rock
Sábado, dia 24 de abril, 22h
APR Club, Recife/PE

ABRIL PRO ROCK ROCK: CLUB, FESTVIAL, WORHOPS, ENCONTROS…

nevilton
Por Bruno Nogueira

Mais um ano, mais um Abril Pro Rock que contou com minha participação na curadoria. Depois de três anos, inevitávelmente, começo a me envolver com mais coisas da produção do festival, junto com Guilherme Moura. Do tempo que estou lá, esse ano foi o mais apertado de todos, mas o que conseguimos o melhor resultado. Programação gigante e que cabe bem num orçamento menor, com a novidade de agora serem nove noites de festival. Fora as oficinas, que esgotaram rapidinho o número de vagas, transformando as antigas palestras em algo mais pró-ativo.

Abaixo está a programação. Podem falar mal, mas também aceitamos elogios :)

APR CLUB | 15.04 – Festa do APR | A partir das 22h

Instituto Mexicano del Sonido | MEX
DJ Dolores | PE
Diversitrônica | PE
DJ Rodrigo Lariu | RJ
DJ Seba | ARG

Pavilhão do Centro de Convenções | 16.04 | Abertura dos portões: 20h

Inner Demons Rise | PE
Alkymenia | PE
The Mullet Monster Mafia | SP
Agent Orange | EUA
Claustrofobia | SP
Eminence | MG
Varukers | Ing
Ratos de Porão | SP
Terra Prima | PE
Blaze Bayley | UK

Pavilhão do Centro de Convenções | 17.04 | Abertura dos portões: 17h

Anjo Gabriel | PE
Mini Box Lunar | AP
Plástico Lunar | SE
Bugs | RN
Vendo 147 | BA
River Raid | PE
Zeca Viana | PE
Instituto Mexicano del Sonido | MEX
Nevilton | PR
Afrika Bambaataa | EUA
Plastique Noir | CE
3naMassa | PE/SP
Wado | AL
Pato Fu | MG

APR CLUB | 20.04 – Noite BBC Radio 3 | A partir das 22h

Orquestra Contemporânea de Olinda | PE
Bongar | PE
Combo Percussivo de Olinda | PE

APR CLUB | 22.04 – Noite Radio Antena 3 | A partir das 22h

The Legendary Tigerman | POR
Dead Combo | POR
Chambaril | PE

APR CLUB | 23.04 – Noite BBC Radio 3 | A partir das 22h

Siba | PE
Alessandra Leão | PE
Ylana | PE

APR CLUB | 24.04 | A partir das 22h

Mundo Livre S/A | PE
Burro Morto | PB
Camarones Orquestra Guitarristica | RN

APR Club | 30.04 | A partir das 22h

Dead Fish | ES
Love Toys | PE

APR Club | 01.05 | A partir das 18h

Dead Fish | ES
Rotten Flies | PB

PROGRAMAÇÃO: ABRIL PRO ROCK 2010

Festival pernambucano completa 18 anos e divulga a programação oficial para este ano

O alagoano Wado é uma das atrações desse ano no Abril Pro Rock

O Abril Pro Rock chega a maior idade em 2010. Um dos mais antigos festivais independentes do país comemora sua 18a edição no Recife totalmente reformulado. Agora ele terá vários dias de shows, acontecendo em mais de um lugar na cidade. São quase 40 bandas na programação completa. Com o mote de “Música, Formação e Mercado”, o festival promove ainda jornadas de oficinas que vão durar em média 3 a 4 dias, ensinando coisas como, por exemplo, fazer um videoclipe e produzir uma banda. A assessoria de imprensa do evento divulgou nesta segunda-feira os “dias satélite” da programação, que será desta vez na Fábrica Tacaruna. As outras noites, batizadas de “APR Club”, serão divulgadas ainda essa semana. Confere aí:

LEIA O RESTO DA MATÉRIA AQUI

RAMIREZ E VMOZ TOCAM NO CENTRO CULTURAL DOSOL NO FINAL DE MARÇO

vamoz

O final do mês de março vai estar bem agitado no Centro Cultural Dosol. Por lá teremos no dia 26 a estréia da Noite Noize, festa quinzenal capitaneada pelo Coletivo de mesmo nome. No primeiro dia da programação os shows já são arrebatadores. Teremos de Pernambuco o Vamoz e o Raybans. Uma banda local completa a programação.

Neste mesmo final de semana, sendo que domingo, dia 28 de março o Centro Cultural Dosol recebe os cariocas do Ramirez. Na programação ainda pasasm os locais Driveout, os pernambucanos do Bon Vivant e (ainda a confirmar) os canadenses do Lost Inoccence. Aguardem mais detalhes e os flyres dessa programação.

ABRIL PRO ROCK CONFIRMA DUAS BANDAS POTIGUARES NA PROGRAMAÇÃO

bugs dosol01
Foto: Bugs no backstage do Festival Dosol 2009

Novamente Natal emplaca bandas na programação do Abril Pro Rock. Desta vez quem passa pelo palco do festival são os potiguares Bugs e Camarones Orquestra Guitarrística. O Bugs vem divulgando seu novo EP, fez grande apresentação no Festival Dosol e carimbou sua presença em Recife naquele dia, já que os curadores do Abril Pro Rock também estavam assistindo a programação do Dosol.

Já o Camarones Orquestra Guitarrística começa o ano como a banda potiguar com mais shows fora do Estado. São mais de 40 apresentações agendadas em quase todas as regiões e datas confirmadas em festivias como Calango, Bananada, Goma e Dosol. O Bugs toca dia 17 de abril e o Camarones faz o show de encerramento do festival.

4ª CHAMADA CARNAVALESCA DO ROCK: QUEM É QUEM?

Muito bem. O carnaval está chegando e não é por isso que o rock vai parar. Pelo contrário, já é tradição na terça de carnaval os shows da Chamada Carnavalesca do Rock, palco gratuito que fica na Ulisses Caldas (ao lado da prefeitura). O evento começa às 17h. Veja quem se apresenta esse ano:

PROJETO TRINCA 02

PROJETO TRINCA

Três pessoas. Três músicos. Três amigos. Três vontades e um único desejo em comum: fazer música. Outro dia me perguntaram: “Por que um projeto e não uma banda?”. Eu não tive uma resposta naquele dia. Hoje eu tenho. Queremos projetar. Talvez o nome “projeto” venha daí, sabe? Projetar, projeção. Jogar numa página da internet um produto experimental, mas verdadeiro. Essa é a nossa vontade. Ver isso acontecer, ver como as pessoas vêem isso, ver o que isso gera. Esse será o nosso grande barato.

O que nos une, sem dúvida nenhuma, e nos move, além da música, além do projeto, são os laços. Os laços criados pela música e na música. Os laços que ela transcende e escorre, em via única, pra vida. Somos amigos desvairados, agora nos aventuramos, pulamos de cabeça nessa nova empreitada. Somos kamikazes! Nós três: Bruno Alexandre, Leonardo Palhano, Raphael BJoe ou simplesmente Bruno, Palha e Rapha… Chamem como quiser, só não esqueçam que a Trinca existe e que não trincamos por nada.

Não temos total certeza do que fazemos, no que diz respeito à estética, à estilo, nem tampouco sabemos onde isso vai dar. Mas, confesso, estamos nos divertindo à beça. Gostando de criar, gostando de compor, gostando de rir, gostando de explanar sobre as coisas, gostando de comer pizza e pastel, entende? Estamos gostando e é isso que queremos. Queremos que as pessoas sintam todo o subtexto envolvido.

No mais, o que queremos é continuar fazendo, produzindo, testando, brincando, errando, bebendo, comendo pizza, acertando, falando besteira, se arrependendo, pedindo desculpas, se emocionando.

http://www.myspace.com/PROJETOTRINCA

seuze

SEU ZÉ

Antes de qualquer coisa o SeuZé é uma banda que toca música sem se preocupar com a amplitude de significações e abrangência de estilos que o nome música sugere. Se para alguns a diversidade musical pode implicar em falta de identidade ou personalidade, para os Zés a lógica é outra. E não poderia ser diferente. Ora, como esperar que quatro indivíduos com gostos e referências musicais completamente diferentes produzam um som uniforme que possa ser tachado ou enjaulado em um segmento ou gênero determinados?

É assim, na contramão do que geralmente ocorre com grupos em início de carreira – formados pelas afinidades – que, desde 2003 o SeuZé, originado em Natal, vem construindo um trabalho sólido a partir das diferenças dos seus músicos. A banda tem a consciência de que em arte não existe originalidade, no máximo pioneirismo. Tudo é referência, reinvenção. É nesse sentido que o grupo não teme assumir a influência que sofre de artistas que, por mais que aparentem não estar em sintonia ou contemporaneidade, se encontram na perpendicular do bom gosto.

http://www.myspace.com/seuze

camarones oficial

CAMARONES ORQUESTRA GUITARRÍSTICA

O Camarones Orquestra Guitarrística é uma banda potiguar de música instrumental calcada no rock. No final de 2007, o Camarones surgiu com o objetivo de fazer uma música instrumental, divertida e dançante. Com essa premissa, a banda, que já conta um EP lançado em junho de 2008, mistura rock, ska, punk, reggae, temas de desenhos animados e filmes, enfim, tudo o que contribuir para produzir uma sonoridade interessante e um show empolgante.

A formação conta com músicos renomados da cena potiguar como Ana Morena (baixo), Anderson Foca (Teclado e efeitos) e Xandi Rocha (Bateria), todos produtores e agitadores culturais que já foram de outras bandas bem conhecidas do circuito independente como Allface, The Sinks e Seu Zé. E nas guitarras dois músicos da novíssima e promissora geração da cena musical potiguar: Karina Monteiro e Leo Martinez.

Com quase dois anos de estrada, a banda vem fazendo shows em festivais importantes como Recbeat (2009, Recife/PE), DoSol (2008, Natal/RN), Rock Cordel (realizado pelo BNB nas cidades de Sousa/PB, Juzeiro/CE e Fortaleza/CE), Festival Nordeste Independente (Natal/RN), Chamada Carnavalesca do Rock (2009, Natal/RN), Mundo (2008, João Pessoa/PB) e já foi convidada para participar dos festivais DoSol (Natal, Nov/2009) Bananada (Goiânia, Maio/2009) e Calango (Cuiabá, Agosto /2009).

http://www.myspace.com/camaronesorquestraguitarristica

CALISTOGA

CALISTOGA

O Calistoga nasceu em 2004 como qualquer banda quando amigos que frequentavam a cena mais underground de Natal se juntaram para tocar seguindo influências comuns. Nos últimos três anos lançaram três singles. Em 2008, lançaram um CD com 7 músicas, chamado normal people’s brigade, que mostram a evolução musical da banda em direções mais post-hardcoreanas e experimentais. O disco é fruto do convívio constante, da experimentação e da ralação no cenário do rock potiguar, não apenas como músicos, mas como técnicos, produtores e pessoas totalmente dedicadas àquilo que necessário para que o rock possa acontecer da maneira mais excitante e divertida possível.

http://www.myspace.com/BANDACALISTOGA

COMANDO

COMANDO ETÍLICO

Fundada ao norte da Cidade do Sol, a banda Comando Etílico é o que se pode chamar de resistência conteporânea à moda antiga. Formada pelos irmãos David e Lucas Praxedes em 2003, que aliados a Kleber Barboza e Hervall Padilha fecham a atual formação, trazendo em sua bagagem doses engarrafadas de nostalgia oitentista claramente influenciados por grupos da estirpe do Azul Limão, Harppia, Salário Mínimo, Taurus, Anthares, dentre outras.

Tocando metal pesado e cantando em português sem nacionalismo ou algo do tipo e com o intuito de ampliar seus horizontes além de bares e botequins potiguares, o Comando Etílico retira de sua adega metálica o CD-demo “Metal e Prazer” produzido de forma totalmente independente e contendo 5 canções de puro peso. Vocais densos, guitarra certeira e cozinha crua são apenas alguns elementos deste registro do metal nacional.

http://www.myspace.com/COMANDOETILICO

GANDHI

GANDHI

Banda da capital potiguar, formada no início de 2007, que vem fincando seu nome no meio Underground Natalense. Com um som altamente influenciado pela agressividade do metal pesado aliado à pancadaria do hardcore; riffs instigantes com vozes alternando entre o gutural e o melódico, refletindo um contraste entre o ódio e a leveza. A banda trás em seu currículo apresentações com grupos já consagrados no Underground Nacional como ENDRAH (SP), TORTURE SQUAD (SP), MUKEKA DI RATO (ES).

Confira o trabalho do grupo ouvindo os Singles “Juri da Cor, Santo Ódio, Corrompido” e a mais nova faixa “Renascendo” q será do novo Ep!

http://www.myspace.com/gandhimetal

ABRIL PRO ROCK DIVULGA OS PRIMEIROS NOMES PARA 2010

varukers

Foto: Varukers (UK) confirmados no APR 2010

A programação do Abril Pro Rock 2010 aos poucos começa a ganhar fôlego. Nos últimos dias foram anunciadas quatro bandas que estarão na mostra deste ano. São elas: Varukers (banda punk clássica), Blaize Bailey (Ex-vocalista do Iron Maiden), Mini Box Lunar do Amapá e Vendo 147 da Bahia.

O Abril Pro Rock acontece durante todo o mês de abril em programação espalhada pela cidade do Recife. Os dois dias com maior disponibilidade de shows são 16 e 17 de abril, e devem acontecer no Chrevrolet Hall.

ABRIL PRO ROCK 2010: PRIMEIRAS INFORMAÇÕES!

mundo-livre
Foto: Mundo Livre no APR2009. Por Dosol Crew

Veja nota que saiu hoje no Jornal do Comércio (PE) com as primeiras informações sobre o Abril Pro Rock 2010:

O Abril Pro Rock terá uma série de shows durante todo o mês de abril em sua edição de 2010, informou ao JC Online, o produtor Paulo André. Ao completar 18 anos, o festival fará shows principais nos dias 16 e 17 de abril e outros shows nos finais de semana seguintes.

Estes shows serão de menor porte e acontecerão de quinta a domingo. No total, serão 11 dias de shows. O número de bandas deve chegar a 40 nomes. “Queremos atuar nos gargalos da cidade, dar espaço a bandas menores”, afirmou o produtor.

Como nos anos anteriores, também acontecerão palestras e oficinas paralelas ao evento, discutindo música, produção e mercado fonográfico. A grande novidade é que este ano o foco na capacitação será maior, com workshops variando entre três e 15 horas de duração. “Queremos investir na formação. O problema de Recife é que ainda existem muitas bandas ruins, que estão perdendo tempo sem um direcionamento”, disse. “Estamos interessados em fomentar essa cadeia produtiva de música no Estado, o que também é bom para o festival”.

Com relação às atrações do próximo ano, Paulo André avisa que não esperem nenhum grande nome. “Com a quantidade de shows gratuitos na cidade, fica complicado apostar numa única grande banda”. Por isso, a ideia é que sejam bandas de pequeno e médio porte de diversos estilos musicais e também projetos eletrônicos.

REDES SOCIAIS – Desde o início deste ano, a organização divulga informações no Twitter. A ideia é que até ano que vem, mais informações e nomes das bandas sejam anunciadas nas redes sociais como o MySpace e Blog.