MOTORHEAD NO ABRIL PRO ROCK 2009

Fonte: Nordeste Independente

Acabamos de receber essa mensagem via net. O bicho vai pegar em Recife em 2009,

Abril Pro Rock 2009: Motorhead Confirmado!

Uma das bandas mais desejadas pelo público do festival finalmente se apresentará no Recife

Recife abre as portas para verdadeiras lendas do rock no mês de Abril. Em sua 17ª edição, o festival ABRIL PRO ROCK terá em sua programação ninguém menos que os ingleses do MOTORHEAD como atração principal. A maior celebração ao rock no Brasil acontecerá nos dias 17 e 18 de abril, mais uma vez no palco do Chevrolet Hall. Este será o único show do grupo no Nordeste, que passa pelo Brasil em uma turnê por mais duas cidades.

Formado em 1975 pelo reverenciado Lemmy Kilmister, o trio conquistou o sucesso com discos como No Sleep’til Hammersmith – quando se auto-proclamou a banda mais barulhenta do mundo -, Ace of Spades e Overkill. Com a postura clássica de ignorar os rótulos, que tratam sua banda como ora Heavy Metal, ora Speed e Thrash Metal, Lemmy diz que sua banda não é nada além de Rock n’Roll. E, de fato, poucas bandas traduzem tão bem o espírito de diversão do rock como o Motörhead.

Uma brincadeira clássica no filme Cabeças de Ventos (Airheads) traduz bem a importância da banda. Para testar se um executivo de gravadora não é, na verdade, um policial disfarçado, um músico o pergunta “Quem venceria numa briga, Lemmy ou Deus?”. A resposta certa: “Lemmy É Deus”. E o panteão do rock traz mais uma de suas crias para o palco que já recebeu o Helloween e o Gamma Ray.

MICROFONIA – Outra banda que já está confirmada no Abril Pro Rock é a Candeias Rock City. Ela foi escolhida pelo concurso Microfonia, promovido pelas Faculdades Integradas Barros Melo (Aeso) em parceria com o festival. Eles foram selecionados entre quase 100 inscritos por uma comissão formada pela produção do Abril, jornalistas e músicos da cidade.

REPERCUSSÃO: ABRIL PRO ROCK NA FOLHA DE SP

Abril pro Rock consagra Wildner e pianista jovem
MÁRVIO DOS ANJOS
ENVIADO ESPECIAL A RECIFE

Em sua 16ª edição, o Abril pro Rock conseguiu equilibrar bem a vocação de plataforma do alternativo nacional com a necessidade de atrair um público que, na maioria das vezes, demanda mais do mesmo. E quem foi atrás do novo Brasil nos dois dias do festival (sexta e sábado), no Chevrolet Hall, saiu com grandes memórias, ambas do sábado: a ousadia do pianista pernambucano Vítor Araújo, 18, e a catarse do veterano Wander Wildner -a quem talvez ainda faltasse alguma consagração. O garoto de background erudito deu a “Paranoid Android”, do Radiohead, ares de Debussy e Bach, acento de jazz a Chico Buarque, e algumas lições às muitas bandas ainda verdes, ou meramente imitativas, do festival. Araújo mostrou personalidade e discurso próprio e enfrentou sem medo as dificuldades sonoras do palco 2, percebidas em outros shows, mas realmente cruéis com o piano solo.

Mesmo assim, foi em transe que centenas de pessoas se apinharam perto das caixas de som para vê-lo transitar, em estado de hipnose, pelo frevo e por Villa-Lobos. Virou o momento único, a imagem a ser trazida do Recife. Por sua vez, Wildner, reforçado por gaita (acordeon, segundo os

Na noite de Lobão, Céu e Datsuns (Nova Zelândia), os gaúchos do Superguidis exibiram, com raça e paixão, um powerpop que merece ser ouvido mais vezes e fizeram o melhor show em língua pátria dos palcos secundários, tomados por anglófonos -o que não é crítica quando há gente antenada e precisa, como os pernambucanos do Sweet Fanny Adams, mas uma constatação. Na noite de sexta, que teve New York Dolls (ótimo) e Bad Brains (nem tanto), os destaques do novo Brasil foram The Sinks (RN) e Vamoz (PE). Os potiguares têm peso e melodia, entre o stoner, o Nirvana e o Weezer e deram (bom) refrão em inglês a quem precisa. O Vamoz, extremamente dinâmico nas guitarras, honrou a ebulição rock que sempre se espera do
Recife.

REPERCUSSÃO: ABRIL PRO ROCK NO PORTAL FORA DO EIXO

Por Felipe Gurgel (CE) – Enviado a Recife (PE)

O Abril Pro Rock 2008 ainda não terminou, mas já tem história pra contar. No último fim de semana, dias 11 e 12 de abril, o festival colocou 23 bandas nos palcos do Chevrolet Hall, em Recife (PE). A 16ª edição do Abril finaliza sua programação no próximo dia 27, com os shows do Helloween e Gamma Ray. A data descolada dos dois primeiros dias se justifica por conta da agenda da turnê das duas bandas internacionais de metal. Continuar lendo

REPERCUSSÃO: ABRIL PRO ROCK SEGUNDO DIA NA REVISTA O GRITO

Na longa noite de sábado, seis estrelas, chamarizes de platéia, estavam prontas para subir o palco e arrazar. Foi o que aconteceu durante o segundo dia de apresentação do Abril pro Rock que, literalmente, jogou no lixo o clima de decepção provocado pela primeira noite. O festival havia entrado finalmente no eixo à revelia de qualquer força contrária já no comecinho da noite. Continuar lendo

REPERCUSSÃO: ABRIL PRO ROCK PRIMEIRO DIA NA REVISTA O GRITO

New York Dolls (Foto: Luciana Ourique/ Divulgação)

ABRIL PRO NOVO
Palco 1
Por Fernando de Albuquerque

Abril pro Rock – Palco 01
Sexta-feira | 11 de abril 2008

O buxixo que pairava no ar era de que o Abril pro Rock tinha mudado. Que precisava transformar para ganhar mais platéia e voltar a ser a velha plataforma nacional de lançamentos. De fato o Abril mudou. Saiu do aconchegante Pavilhão para abraçar o escorregadio chão do Chevrolett Hall, casa mais bem equipada e que, a priori, funcionaria muito bem para maquiar a constante queda de público dos últimos 10 anos. Até que na funcionalidade make up o espaço funcionou. E fora isso ainda dava para sentar nos batentes, dormir nas pilastras, mas as quedas? Inevitáveis e pelo menos, no primeiro dia, o Abril escorregou em suas próprias escolhas. Continuar lendo

REPERCUSSÃO: ABRIL PRO ROCK PRIMEIRO DIA NO PE360GRAUS

Punk rock hardcore agita primeira noite

Por Daniel Santana
Guitarras raivosas ecoaram pela área interna do Chevrolet Hall na noite da última sexta-feira (11). A casa de shows, acostumada a trazer atrações famosas entre o grande público, viu seu espaço ser tomado por pouco mais de 2,5 mil alucinados fãs de rock durante a primeira noite do Abril Pro Rock 2008. As bandas podem até não ser muito conhecidas fora do circuito alternativo, mas fizeram jus ao palco e conseguiram provar que o Recife tem muito mais do que frevo a oferecer. Continuar lendo

REPERCUSSÃO: ABRIL PRO ROCK SEGUNDO DIA NO PE360GRAUS

Diversidade de estilos marca segunda noite do Abril Pro Rock

Por Daniel Santana
O rock é um dos gêneros musicais que possui mais vertentes, subdivisões e movimentos e talvez por isso seja também um dos mais vigorosos de todo o mundo. A segunda noite do Abril Pro Rock 2008 comprovou que o rock é muito mais que um rótulo musical – é um estilo que transcende barreiras. Continuar lendo

LUCIANO MATOS (BA): ABRIL PRO ROCK – ROCK DÁ AS CARTAS

Pode até ser que Recife não viva mais seus melhores momentos no campo da música como alguns anos atrás, mas é lá que continua sendo feito o mais importante festival do Nordeste e um dos melhores do país. O Abril Pro Rock já revelou nomes da música pop brasileira e vem tentando encontrar um novo caminho diante da realidade do mercado de música atual. Neste último fim de semana, o festival recebeu 23 artistas, apostando especialmente no rock e sem muitas variações para outros gêneros. O resultado foi uma junção de alguns dos principais nomes do rock independente nacional e duas noites muito divertidas. Continuar lendo

BRUNO NOGUEIRA: POR TRÁS DE UM FESTIVAL

Acabou o Abril Pro Rock 2008, pelo menos até dia 27 quando tem show do Helloween e Gamma Ray. Este ano, pela primeira vez, eu acabei mudando de lado na história. Após ser convidado para fazer curadoria das bandas independentes da programação, acabei me misturando na parte de produção, assessoria e o que mais aparecesse no processo. Foi uma experiência muito boa. Primeiro para perceber que a quantidade de imprevistos que um evento desse porte tem é muito maior que a mente mais criativa pode conceber. Segundo, para ganhar ainda mais a noção do todo que envolve esse processo da música independente e, entender, com isso, que meu lugar é mesmo como jornalista, do outro lado. Continuar lendo

ABRIL PRO ROCK 2008: IMPRESSÕES E COMENTÁRIOS

Por Anderson Foca

OBRIGADO

Valeu geral que esteve na palestra que dei junto com o Rafa do heyho sobre tour e shows pelo Nordeste. Espero que tenha ajudado de alguma maneira quem estava presente. Valeu também a quase (contados) uma centena de discos que recebi durante o festival. Vou procurar ao menos pincelar todos.

OBRIGADO DE NOVO

A produção do Abril Pro Rock, bastante competente que deixou tudo excelente para as bandas fazerem um bom trabalho. E agora falo como músico já que toquei com o Sinks por lá. Foi surreal.

BAD BRAINS

Vi o Bad Brains de cima do palco, é mole?

BRUNO E GUILHERME

Foi bem engraçado ver “do lado de cá” Bruno Nogueira e Guilherme Moura na produção do Abril Pro Rock. Aposto que os dois devem ter mudado muitos conceitos depois de passarem por essa maratona. Bruno me parecia assustado com o turbilhão que é um rock como esse e Guilherme, mais sóbrio, no primeiro dia tava pilhado e no segundo mais tranquilo. Jovens, é uma das coisas mais difíceis de fazer na vida um rolé desse dar certo. Os dois devem acreditar nisso agora…

ABRAFIN

Ao todo foram quase dez horas de reunião da ABRAFIN durante o final de semana com muita dicussões importantes. Agora é oficial: a Sol e a Taama Virtual são apoiadoras do Festival Dosol 2008. A Sol extendeu o patrocínio para todos os eventos da ABRAFIN no calendário e a TRAMA vai apoiar doze deles. Além disso rolou discussão sobre o calendário (mesmo com a ausência inexplicável de UM festival), ações políticas, SENAES, entre outros tópicos.

PSYCHO CARNIVAL

Muito bom poder trocar idéia com um cara tão diferente e tão distante da minha realidade como o Vlad, produtor do Psycho Carnival em Curitiba. Figuraça!

TROFÉU SIMPATIA

O troféu simpatia do festival vai para a grande Melina, produtora do APR.

TROFÉU LIMÃO

Vai para quem reclama do preço do ingresso. Pelas atrações e pelo espaço foi muito, mas muito baixo. Se fosse em São Paulo não custaria menos que 100 REAIS, e olha que em Recife um rock desse porte é muito mais caro. Dentro da casa achei cara a cerveja e a comida…

BOLA DENTRO

A Petrobrás fica com bola dentro do evento, porque viabilizou com o patrocínio que o APR continue em pé e mostrando porque é o festival mais importante do calendário brasileiro. Tomara que renovem logo agora o apoio com turma porque é altamente merecido e importante que o rock cotinue rolando bonito em Recife.

COMO FOI? SEGUNDA NOITE DO ABRIL PRO ROCK 2008

É melhor ir por tópicos porque é muitaaaaaaaaaaaaaaaa coisa. Então lá vai:

1) O PREÇO E O LUGAR: Muita gente reclamou dos preços praticados dentro da edição do APR. Grita injusta, o lugar era sensacional, muito foda e logicamente as coisas ficam mais caras. Quem reclamou do preço do ingresso (se fosse em Natal eu seria execrado pro resto da vida) também não tem noção. As atrações valeram cada centavo, os gringos e os brasileiros. Em SP custaria 100 mangos uma entrada dessa sem nem chorar.

2) OS GRUPOS NOVOS: O Madalena Moog e o Erro de Transmissão tem basicamente o mesmo problema e por tabela já sabem também a solução. São grupos muito novos, os dois ainda sem cancha para tocar num festival como o APR. Discordo das duas escalações, porque expor grupos novos assim num palco como esse pode atrapalhar carreiras. De todo modo valeu para ficarem mais conhecidos, mesmo que seja negativamente (inevitável se eu bem conheço a imprensa que estava no evento).

3) SWEET FANNY ADAMS, VIOLINS, SUPERGUIDIS E ROCKASSETES: O quarteto aí proporcionou os melhores momentos do palco 02. Sweet Fanny Adams já é uma banda bacana há algum tempo e no APR só reforçou isso. O Superguidis que ainda não tinha me conquistado ao vivo, finalmente o fez num palco de grandes proporções. O show foi excelente. O Rockassetes tem a a vibe principalmente boas músicas, tudo o que uma boa banda precisa. O Violins vou resumir: eu queria escrever que nem o Beto Cupertino.

4) VICTOR ARAÚJO : Fui tentar ouvir o piano do Victor Araújo mas o som tava péssimo e somado ao ambiente de festival com geral falando alto do meu lado ficou impossível de ouvir decentemente. Uma coisa me incomodou bastante. Como é afetado esse muleque! Fui no youtube e até gostei do que ouvi mas alguém precisa segurar a onda dele. Aquele truque final de dizer “Será que posso tocar meu single do Radiohead?” para turma vir (tentar) abaixo foi o ápice da afetação.

Tudo bem, o moleque tem 18 nos e por enquanto é tratado como fenômeno. Eu entendo. Quando ele tiver 20 vai ser imperdoável!

5) AUTORAMAS E JUPITER MAÇÃ: O Autoramas foi o de sempre o que para eles significa dizer que foi excelente. A banda faz tempo que ocupa o pódio do rock indie nacional e não seria no APR que isso ia mudar. Rockkkkkkkkkk! O Jupiter Maçã é assim: respeito sua história, adoro as suas músicas e ele gravou a Sétima Enfervescência né? Masssssssssssssssss, tá difícil aguentar ao vivo a baba escorrendo pelo lado da boca de tanta chapação. Para quem gosta de rolé chapação deve ser bom, eu, um careta inveterado dou nota 05. Serviu para cantar “Lugar do Caralho” bem alto para nem escutar a voz dele!

6)BARBIEKILL: Adivinhem? O Barbiekill tocou o foda-se, o som tava ruim, as músicas foram mau executadas, as vozes emboloadas e as guitarras mau timbradas. Resultado? Excelenteeeeeeeeeeee. Barbiekill é diversão, é esbórniaaaaaaaa. Talvez alguns não entendam e fiquem esperando mais, eu adoro assistir o grupo (ouvir em casa é outro papo). Das bandas novas do sábado foi a apresentação mais aclamada, muito pela simpatia e presença de espiríto do grande Daniel.

7) THE WINNER IS… WANDER WILDNER: O Wander fez a melhor apresentação do APR 2008. Não vou dizer como foi porque tava extasiado e lembro pouco de tudo. Mais calmo vou me lembrar. Lindoooooooooooo!

8) GRINGADA ROQUEIRA: Os Datsuns deram uma surra de guitarras em geral no sábado. O som ótimo, acelerado e certeiro do grupo contagiou geral. E teve mané que perdeu! Morando em Recife e gostando de rock e imperdoável.

9) Perdi o Pata de Elefante e o Lobão que voês podem acompanhar no nosso clipping de repercussão do APR aqui no portal. Abraço!

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: SEGUNDO DIA NO RECIFE ROCK

A cobertura dos shows do palco 2 foi feita por Paulo Floro, editor da excelente revista eletrônica “O Grito” www.revistaogrito.com 

Chevrolet Hall, por volta das 17h. Com os portões ainda fechados, a banda que acompanha Lobão em seu Acústico MTV passa o som. Correndo contra o tempo, uma vez que o vôo que trazia Lobão e banda atrasou, assim como a liberação de todos os instrumentos de seu show no aeroporto, o cantor carioca tenta ser rápido. Na “platéia”, apenas alguns jornalistas privilegiados em ver tal cena, a maioria deles impressionado com a quantidade e diversidade de violões a serem usados. Largadão, de bermuda e camisa branca, fone de ouvido, Lobão arranha riffs de “A Vida é Doce”, “Essa Noite Não”, “Vou te Levar”. Os portões são abertos enquanto ele ainda está passando o som. O inevitável acontece: o público, que ia entrando aos poucos, se maravilha com a cena. Uma moça loira pede para eu tirar uma foto dela tendo como pano de fundo Lobão ao violão. A cena se repete com outras pessoas. De repente, o lobo sentencia: “estou me dando por satisfeito. Acho que é isso. Estou empolgado”. Aplausos. Jornalistas e público aplaudem um pequeno esboço do que seria o show de nove horas mais tarde. Lobão agradece com a cabeça, e diz a um dos músicos que está bastante entusiasmado com o show. Continuar lendo

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: PRIMEIRO DIA NO DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Quando pouco antes das 2h o New York Dolls pisou no palco principal do Abril Pro Rock encontrou um público relativamente pequeno – pouco mais de 2 mil pessoas num espaço onde cabem mais de 12 mil – e cansado. Desde às 21h, doses cavalares de hardcore, punk, hard rock e metal haviam sido exaustivamente tocadas no Chevrolet Hall. Com um atraso de mais ou menos uma hora em cada apresentação, a noite foi uma sucessão de bandas que não conseguiram atingir aquele momento único em que banda e platéia se tornam indissociável – ou conseguiram por não mais que três ou quatro músicas. E o New York Dolls, banda de punk seminal, influência de gerações de roqueiros, bem que tentou, mas não chegou a fazer a apresentação histórica que era esperada. Continuar lendo

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: SEGUNDO DIA NO DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Rafaella Soares
Do JC OnLine

Uma maratona. Assim foi o o segundo dia do Festival Abril Pro Rock 2008. No início da noite deste sábado (12), as iniciantes Madalena Moog (RN) e Erro de Transmissão (PE) abriram a programação, tocando no palco 3. Em seguida, a Sweet Funny Adams (PE) desfiou o repertório do seu EP homônimo pelo palco 2. Depois foi a vez da capixaba Barbiekill. O som não traz muita novidade; nada que os precursores do Cansei de Ser Sexy ou mesmo Bonde do Rolê não tenham feito. O APR continua no próximo dia 27 com os shows das bandas alemãs Gamma Ray e Hellowen. Continuar lendo

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: PRIMEIRO DIA NO JORNAL DO COMÉRCIO

Rafaella Soares
Do JC OnLine

O primeiro dia do Festival Abril Pro Rock 2008 concentrou a maior parte de bandas pesadas da escalação. Transferido do pavilhão do Centro de Convenções para o Chevrolet Hall, o evento cumpriu nesta sexta-feira (11) a proposta de dosar testosterona e androginia em estilos musicais bem diferentes. Dois nomes locais abriram a noite, uma tocando no Palco 3 sem muito atraso: AMP (banda selecionada pelo Link musical) e o peso da olindense Project 666, no palco 2 . De Natal (RN), subiu ao palco a The Sinks, sugerindo com seu hardcore melódico a tendência dos shows que se viria. Continuar lendo

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: SEGUNDO DIA NA FOLHA DE PERNAMBUCO

Guilherme Gatis
Da editoria de Informática

Toda mudança exige um momento de adaptação. Ao deixar o pavilhão do Centro de Convenções e migrar para a maior casa de shows da cidade, o Abril Pro Rock abriu mão de um pouco de sua identidade. As pouco mais de 2,5 mil pessoas do primeiro dia e as três mil do segundo foram bombardeadas pela qualidade sonora do sistema de som, impecável, e pelo conforto que a estrutura de concreto do pavilhão não proporcionava. Mas a falta de sintonia do “Pega Leve”, de Ivete Sangalo, disparado a cada intervalo pelo patrocinador da casa, causava um estranha sensação de que algo estava fora de seu lugar. Continuar lendo

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: PRIMEIRO DIA NA FOLHA DE PERNAMBUCO

Por Tácio Fonseca 

A New York Dolls fechou a primeira noite do Abril pro Rock 2008 com um show memorável, mas que só despertou interesse de verdade nos que conheciam sua representatividade como precursora do punk. Da formação clássica só sobraram o vocalista e o guitarrista, respectivamente David Johansen e Sylvain Sylvain, que, apesar de estarem beirando os 60 anos, demonstraram boa forma e energia numa apresentação que já entrou para a história dos shows no Recife.
Escolhida através do concurso do Link Musical, coube à pernambucana AMP abrir os shows desta edição. Os poucos que ainda chegavam ao Chevrolet Hall puderam presenciar uma das bandas de rock mais promissoras do Estado. Com ótimas composições, a AMP faz um stoner rock pesado, seguindo a linha de bandas como Queens of the Stone Age e Fu Manchu. Continuar lendo

REPERCUSSÃO ABRIL PRO ROCK 2008: PRIMEIRO DIA NO DYNAMITE

Por André Pomba

E depois de uma maratona de palestras e reuniões, a 11ª edição do festival Abril Pro Rock finalmente começou “de verdade”, tendo como local o Chevrolet Hall, em Recife. Para melhor situar o público, O Chevrolet Hall é algo como Credicard Hall mais rústico, imenso mas com o mesmo problema crônico de acústica, mas com a vantagens de ter áreas abertas. Além do palco principal, o Abril Pro Rock veio com dois palcos laterais menores, destinado aos grupos de “abertura”, uma ótima idéia que faz com que as atrações sigam sem espera, fato que normalmente desgasta o público. Continuar lendo