Notícias, Resenhas

RESENHA DE DVD: MTV AO VIVO 5 BANDAS DE ROCK

Eis aqui o mais recente fruto do projeto “MTV Ao Vivo”, desta feita trazendo cinco bandas do novo rock nacional, num apanhado que, para o bem ou para o mal, representa o que os adolescentes têm escutado nos últimos tempos. Embora exista uma tendência da crônica musical de colocar tudo que é banda apreciada pelos mais jovens no saco de gatos do emocore, é possível, sim, separar as atrações desse DVD, cada qual no seu galho, embora dividam o ecletismo de seu público. Assim como o Moptop representa o novo rock mundial pós anos 2000, as letras do Forfun são de uma incorrigível carioquice (tristeza zero), o veterano Hateen ainda flerta com o indie rock, e só Freno e NX Zero é que abraçam o malfadado emo sem cerimônia.

O problema é que já há tempos a MTV é muito menos “music” e mais “television”. Perturbada pelos avanços tecnológicos (entenda-se youtube), abdicou de ser um grande veículo do pop contemporâneo para se transformar numa espécie de coletivo de programas de auditório à Silvio Santos, com um certo sotaque pop. Assim, difícil acreditar que as pessoas que lá trabalham sejam credenciadas a nos apresentar algo de bom. Ademais, apresentar grupos que já tem público fiel, discos com certo sucesso lançado é fácil – por que não buscar ilustres desconhecidos no underground e transformá-los em aposta?

Pois as bandas que aparecem nessa coletânea não têm nada a ver com isso. Foram contratadas, receberam cachê, tocaram e estão aí para aparecer mesmo. Em comum todas elas têm o grande ícone dessa nova geração: a internet. Todas, sem exceção – e o mini-documentário do DVD realça isso – usaram a grande rede para divulgar seus trabalhos e formar um público surpreendente de tão novo e tão apaixonado pelos ídolos recém-descobertos. Fresno, Forfun e NX Zero que o digam.

Gravado ao vivo no Via Funchal, em São Paulo, com quatro músicas para cada banda (mais uma nos extras, só com guitarra e voz), é essa relação que o vídeo salienta: um público delirante frente a artistas que, de tão novos – e sem carisma, diga-se – não sabem o que fazer e optam pelo deslumbramento. Assim, é comum ver Lucas, do Fresno, ainda perplexo quando todos cantam a letras de uma das músicas. Ou quando os rapazes do Forfun, eles próprios, puxam as palmas que deveriam receber da platéia por livre e espontânea vontade. No caso do NX Zero, o despreparo e o equivocado deslumbre são tão flagrantes quanto efêmero é o público que o assedia. A sensação é que o prazo de validade dessas bandas está tão perto que eles próprios fingem não saber disso para aproveitar ao máximo. Não, eles não têm boas músicas, não são bons músicos, compositores ou intérpretes e, conseqüentemente, não vieram para ficar.

Peixes fora d’água, Moptop e Hateen são, a bem da verdade, os mais criativos. Nascido guitar band nos anos 90, o Hateen já foi melhor, mas tem o mérito (defeito?) de se manter vivo ao longo do tempo, mesmo com as mudanças no mercado musical brasileiro. Já o Moptop, este sim, faz um trabalho de grande qualidade, sintonizado com o rock contemporâneo e com um longo caminho a trilhar, o que pode ser visto nas duas músicas novas tocadas nesse show: “2046” e “Tempos Depois”. O melhor (e mais surpreendente), no entanto, é a única música da banda de abertura registrada neste vídeo. Os riffs de “Já Nem Sei”, do Mecanika, superaram, e de longe, as guitarras desorientadas de grande parte das atrações principais. Ao menos isso a MTV nos apresenta – de verdade – nesse DVD.

2 Comments

  1. Caro Marcos Bragatto, tem um péssimo mau gosto e só por que a MTV nao chamou as bandas que voce gosta, nao tem q ficar mal-dizendo tudo e todos.Se o som que essas bandas fazem, fez sucesso, é porque realmente é bom, nao é ‘qualquer merda’!
    Vê se acorda, e faz uma crítica melhor.

  2. Entao cara ta ai o Prazo de validade dessas bandas né… 5 anos e todas estao fazendo sucesso e levando em frente suas carreiras.. que coisa né…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *