Resenhas

RESENHA DE DISCO: GREEN DAY – 21st CENTURY BREAKDOWN

green-day-21st-century-breakdown-front

Por Foca

O Green Day é hoje uma das principais bandas de rock do mundo. Fato! E o mais assustador disso tudo é que a caminhada do grupo até aqui é daquelas em que tudo joga contra. Eles já foram uma banda punk que fazia viagens e tours gigantes em squat europeus, já foram pais do poppy punk mundial, estilo que permanece vivo para alegria (e ódio) de muita gente e hoje são um dos maiores ícones do rock atual.

Desde os tempos dos discos underground até chegar em “Dookie”, álbum que catapultou a banda pro mundo, o Green Day vem se mantendo sólido aos seus princípios, muitas vezes repetitivos e algumas vezes bastante ousados. O legal mesmo é que a “repetição” do Green Day é sempre ótima (alguém lembrou dos Ramones?). Depois de cinco anos sem um álbum autoral e da maior tour da sua vida com aclamado e excelente American Idiot a banda está de volta com “21st Century Breakdown” comemorando incríveis 22 anos de atividades sem uma pausa se quer.

Green Day mandando a clássica When a Come Around durante o WoodStock 94. Lama e Rock n`roll
[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=WPPeG6RiqvQ]

Assim como o disco anterior, “21st Century Breakdown” é um álbum conceitual e longo, misturando canções menos punks com petardos riffísticos com aquela progressão de acordes usual e características presentes nas boas músicas do trio americano. Produzido pelo “Garbage” Butch Vig a ópera rock está dividida em três partes: “Heroes and Cons”, “Charlatans and Saints” e “Horseshoes and Handgrenades” e narra as peripércias de um casal de jovens (Christian e Gloria) no novo século. Ao todo são quase 70 minutos de álbum, fato raro para os padrões de hoje.

Single novo: Know Your Enemy

É difícil destacar faixas no meio de tantas músicas excelentes. O bom mesmo é degusta-lo por completo. As duas primeiras músicas são aqueles singles que com certeza vão invadir os ouvidos do mundo sem pena. “21st Century Breakdown” e “Know Your Enemy” valem a pena! Destaco lá pro final do disco um petardo roqueiro bem na linha “The Hives” nos melhores momentos, chamado “Horseshoes and Handgrenades”. Faixa que dá início ao último ato do álbum. Na versão japonesa do disco ainda tem vários takes ao vivo, covers do Social Distortion, The Who, Bob Dylan e por aí vai. Coisa Chique!

Sem dúvida um dos discos do ano recomendado de “cabo a rabo aqui” pelo Portal Dosol.

5 Comments

  1. CARAALHOOO MANOO!
    muito bom seu blog (isso e’um blog? ) Oo
    sei la, achei no Google ^^
    com certeza, green day mudou minha vida xD
    e atee hj eu agradeço muito *-* ta muito legal a sua historia, consegui fazer meu trabalho pro curso, um video com 35 slides xD
    Bjss :*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *