DoSol Eventos, Notícias

BNEGÃO PARTICIPA DE PALESTRAS EM NATAL

A cultura se reinventa através da tecnologia. Esse será um dos pontos discutidos a partir do questioamento “O que a tecno-arte e a cibercultura tem a ver com a estética da multidão?”, com participação do rapper BNegão e do paraense Ézyo Lamarca, do movimento do software livre paraense, que apóia o tecnobrega naquele estado. A discussão, que também inclui o mestre em propriedade intelectual Pedro Paranaguá e o roteirista Giba Assis Brasil, integra o Ciclo de Debates “Além das Redes de Colaboração: diversidade cultural e as tecnologias do poder”, que será realizado em Natal entre os dias 7 e 10 de novembro, no Cefet da capital, com 16 especialistas em diversas áreas.

Um dos principais divulgadores e promotores do Software Livre dentro do Estado do Pará, Lamarca explica que se aproximou do tecnobrega pela forma como os artistas deste estilo distribuem seu trabalho: camelôs e ambulantes, caminhos alternativos que diferem da pirataria porque são os autores que entregam seus discos para a venda nas ruas. Essa logística e sua relação com os direitos autorais serão alguns dos assuntos abordados pelos especialistas no terceiro dia de debates. O contato de BNegão com a liberdade de distribuição também será base para as discussões. Em 2003, ele lançou o CD Enxugando o Gelo, álbum que foi liberado pelo próprio BNegão para ser baixado via internet, através do site da banda e do Centro de Mídia Independente, tornando-se um dos primeiros artistas brasileiros a abraçar o copyleft – um trocadilho com o termo “copyright” (todos os direitos reservados); já copyleft significa “é preservado o direito autoral, mas deixamos copiar e distribuir”.

Promoção da Casa de Cinema de Porto Alegre, em uma parceria com Associação Software Livre (RS) e Projeto Software Livre do Rio Grande do Norte (RN), o evento terá 16 especialistas entre os debatedores, com foco das discussões as relações do mundo digital com a cultura, a educação e com os direitos autorais serão o centro das discussões. O evento está sendo realizado também no Rio Grande do Sul – a etapa de Porto Alegre começa nesta segunda-feira (15/10). O Ciclo de Debates é um dos selecionados pelo Programa Cultura e Pensamento, do Ministério da Cultura. Mais informações e inscrições (com dois quilos de alimento não perecível sendo solicitados na entrada do evento) no site.

CULTURA E PENSAMENTO
O Programa Cultura e Pensamento envolve um conjunto de ações que incentivam o debate crítico. O seu propósito é ampliar os fóruns de reflexão e diálogo em torno de temas relevantes da agenda contemporânea. Uma iniciativa do MinC, com o patrocínio da Petrobras, através da Lei Federal de Incentivo. É coordenado pela Fundação de Apoio Pesquisa e Extensão (FAPEX) e co-realizado pelo Ministério da Educação (MEC), pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), pelo Serviço Social do Comércio de São Paulo (Sesc-SP) e pela TVE-Bahia. Conheça as demais ações e acervo do Cultura e Pensamento no portal www.cultura.gov.br/culturaepensamento

SOBRE OS ESPECIALISTAS – Veja o currículo de BNegão e Ézyo Lamarca, dois dos debatedores

Bnegão – Compositor e rapper, tornou-se conhecido como vocalista da banda de Rap brasileira Planet Hemp. Ele saiu em definitivo do Planet Hemp em 2005 para dar início a seu novo projeto, BNegão e Os Seletores de Frequência, dessa vez misturando funk, rap, hardcore, dub e funk, com letras repletas de crítica social. Lançou em 2003 o CD Enxugando o Gelo. O álbum foi liberado pelo próprio BNegão para ser baixado via internet, através do site da banda e do Centro de Mídia Independente, tornando-se um dos primeiros artistas brasileiros a abraçar o conceito de copyleft. Também distribuiu o disco em bancas de jornal pela revista Outracoisa por R,90. Divulga pelos quatro cantos os conceitos de Cultura Livre, generosidade intelectual e publicação aberta. Desde então, BNegão participa de eventos ligados Cultura Livre como Fórum Social Mundial, Encontro de Conhecimentos Livres – RJ, Submidialogia e Fórum internacional de Software Livre.

Ézyo Lamarca – Como presidente da Associação dos Usuários de Sistemas Livres e Abertos, em Belém do Pará, busca conhecer e agregar ações que contemplem as tecnologias livres e abertas com a cultura regional, sendo um dos maiores conhecedores do movimento paraense denominado “tecnobrega” como exemplo de cultura livre bem difundida e bem sucedida. Assim chamando esse tema de “Cabanagem Digital: o Movimento Tecnobrega como legítimo representante da Cultura Digital Livre!”. Abordando a sociedade em rede, a cybercultura, o Software Livre, o Creative Commons e indo de música paraense até chegar no movimento do Tecnobrega. Neste contexto, trazendo a torna o exemplo práticos desses movimento – tecnobrega e cultura livre – para tratar as convergências e a estética da multidão.Fundador do Grupo Linux Pai d’Égua, presidente da AUSLA (Associação dos Usuários de Sistemas Livres e Abertos), diretor adjunto da SUCESU-PA (coordenador do Grupo de Inclusão Digital) e um dos principais divulgadores e promotores do Software Livre dentro do Estado do Pará, tendo palestrado e/ou ministrado treinamento em vários eventos nacionais: Semana de Capacitação (2004/DF), EUSLA (2005/AM), FESLA (2005/AP) e FISL (2006/RS). Atuou como engenheiro de redes da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos sendo atualmente analista de redes do SERPRO cedido para a PRODEPA, ocupando a função de assessor de Software Livre da presidência da empresa.

Ciclo de Debates Além das Redes de Colaboração
Porto Alegre (RS): 15 a 18/10
Natal (RN): 7 a 10/11, das 18h s 22h, Cefet Natal
Inscrições gratuitas
Mais informações:
http://alemdasredes.softwarelivre.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *