Editorial, Notícias

EDITORIAL: TUDO ACONTECE NO SHOW!

Por Anderson Foca

Um editorial. Parece coisa da Folha de São Paulo ou da Rolling Stone, algo do tipo. Aqui no portal DoSol, um espaço que consideramos importantíssimo, também é lugar para debater, espetar e gritar quando for necessário. O editorial do site é nossa opinão sobre o que nos cerca principalmente no mundo do rock n`roll, nossa razão de existir.

Abordaremos hoje um assunto interno mas que tem haver com quem nos visita, bandas, produtores, casas de shows e pessoas que amam música e rock. A mudança de foco do selo DoSol nos últimos tempos.

Somos um combo de trabalho privado, não somos associação e nem cooperativa mesmo trabalhando em grupo para algumas ações de interesse comum como o Festival DoSol, alguns shows que são produzidos no dosolrockbar e discos que lançamos. Uma empresa privada precisa ser rentável, dar algum resultado financeiro que a torne viável e para nós só se movimentando todos os dias isso será possível. Nunca ganhamos dinheiro com prensagem de discos. Nenhum dos nossos lançamentos ao menos se pagou. O dinheiro sempre vinha de outras formas, principalmente em shows de lançamento ou com o uso do estúdio.

Para as bandas, os discos físicos servem como uma carta de apresentação para que elas possam crescer, ficarem conhecidas e tentar mais shows, hoje (e sempre) a principal fonte de renda dos grandes artistas nacionais. Pensamos que tanto para nós como para as bandas, lançar discos na internet será um caminho viável onde se gasta menos dinheiro com discos e cada vez mais dinheiro com os shows e tours. Uma troca filosófica. Quanto mais tecnologia, mais valor a “humanidade” do show terá. Minha mãe gravaria um disco legal hoje em dia, mas jamais faria um show decente porque não tem talento para tal!

Se investirmos no show teremos muito mais coisas para vender do que jamais tivemos. Trocamos a simples venda de um disco por investir em vender ingressos, cervejas, águas, caipirinhas, sanduiches, camisetas, adesivos e uma série de outros serviços agregados a cadeia produtiva do rock. Estamos fazendo essa troca e tem dado certo. E sua banda? Como anda os shows? Os equipamentos estão funcionando? Seu cabo tá ruim? Sua guitarra desafina muito? Você se ouve no ensaio para saber o que está tocando?

No palco é onde a “onça bebe água“. Fiquem espertos!

5 Comments

  1. Uma banda não deixa de ser uma empresa, tudo que depende de um investimento tanto financeiro quanto pessoal “dedicação” deve-se conotar como tal. Porque a colocação? um empresário quando abre uma empresa não sabe se sua empleitada vai dar certo mas confiante a primeira coisa que lhe vem cabeça é “a sorte foi lançada”, agora tém que divulgar e vender o seu produto. A banda gasta com ensaio, equipamento e gravação que é a carta de apresentação citada no texto e que não é nem um pouco barata e dependerá da mídia para divulgar, mas deve-se reconhecer que nem todos por melhor que sejam tém a mesma oportunidade que alguns “panelinha”. Digamos que a minha mãe tivesse talento tanto para gravar quanto para se apresentar mas não houvesse espaço, acredito que a empresa iria a falência. obrigado pelo espaço e um espaço prá todos.

  2. Ney, a discussão é muito boa. Teve uma coisa primordial que você não endendeu. Em nenhum momento, como você sugere no seu comentário, eu disse para as bandas desistirem de ganhar algum dinheiro (ou não ser encarada como uma empresa). O que disse é que uma banda pode vender outras coisas que não seja só um simples cd. Aliás o cd não tem quase nenhum valor já que todos podem ouvir músicas sem pagar nada via internet. E aí? Seria o fim? Para gente é só o começo…

    Do jeito que você comentou parece que a banda tem que ficar a disposição dos produtores, quando eu defendo exatamente o contrário. As bandas deveriam se auto-produzirem, organizarem seus próprios shows e investir nisso. O dosolrockbar é um exemplo. 80% dos eventos que rolam lá são de terceiros, não são nossos diretamente. Isso é que estamos tentando implementar.

    Produza o show da sua banda em vez de investir num disco físico (é uma questão empresarial o que sugerimos), você pode ganhar dinheiro (com um disco seria muito difícil), divulga o seu trabalho e sair satisfeito. É disso que estamos falando no editorial.

    A discussão é boa, sigamos em frente…

  3. CAROS AMIGOS, PODEMOS TROCAR MEIOS DE DIVULGAÇÃO, TEMOS ESPAÇO LIVRE EM PAREDE PARA A PROPAGANDA DE VOSSO SITE EM AUDITÓRIO DO M868 ROCK BAR CLUB, EM TROCA DA DIVULGAÇÃO DE NOSSO CLUB NO PRESENTE SITE! SEM MAIS, ATÉ O MOMENTO, DESEJAMOS PARABÉNS E AGRADECEMOS IMENSAMENTE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *