Coberturas

COMO FOI? 2ª ETAPA DO CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA 2011


Foto: frente do Centro Cultural Dosol, Rua Chile.

A Ribeira é o coração e alma da cultura potiguar. E frase postada no Twitter durante a 2ª etapa do Circuito Cultural Ribeira demonstra bem o que foi a tarde/noite de ontem. Foram 09h de programação da mais alta qualidade para todos os gostos, com todos os espaços ocupados pelo circuito absolutamente lotados num dia memorável para o bairro.


Foto: Calistoga no Centro Cultural Dosol

A programação começou às 15h em ponto com exibição de filmes e abertura do bazar do Dosol. Logo depois a programação de shows teve início com os bons shows do Dr. Carnage e Distro. O Monster Coyote que estava lançando cd no evento também fez bonito com seu metal pesado e roqueiro. O Calistoga mostrou força e maturidade no seu show, com o público deixando o clima pronto para as guitarras insanas do AMP (PE). Para fechar a noite o som chique e dançante do Digital Groove tomou conta do espaço com maestria, com destaque para o Clayton Barros (Ex-Cordel do Fogo Encantado) no violão. Concentrando maior público de todo o circuito, o Dosol mais parecia uma Rua do carnaval de Olinda, com shows sempre lotados dentro do espaço e mais de 2.000 pessoas circulando do lado de fora.

O Central da Ribeira também teve lotação máxima e fila na porta para conferir a excelente cantora local Camila Masiso. A sonorização quase ficou pequena para a quantidade de pessoas que escolheram o local para curtir o Circuito Cultural Ribeira. O show com quase duas horas de duração foi muito aplaudido e terminou de maneira apoteótica.


Foto: Joca Costa e Heliana Pinheiro na Casa da Ribeira

Na Casa da Ribeira a concentração de público também foi enorme, perto das 17h já não tinham mais ingresso para as duas sessões de atrações que o espaço planejou pro Circuito. Não consegui ver a peça infanto-juvenil Flúvio e o Mar. Deu tempo de assistir a segunda sessão com show arrebatador de Joca Costa e Heliana Pinheiro. Foi a soma perfeita entre a qualidade espetacular do trio com a incrível sonorização da Casa da Ribeira (reinaugurada a poucos dias). Ainda teve o pessoal do Poesia Esporte Clube no café da casa também lotado brincando com as palavras.

Não deu para ir até a tríade Consulado Bar, Buraco da Catita e Atelier de Flávio Freitas, mas soube que os três estavam bem freqüentados e a Catita com o clima de sexta-feira (seu dia tradicional) com o espaço absolutamente lotado.


Foto: Gira Dança intervén na Rua Frei Miguelinho

No Espaço a Deriva deu para ver um pequeno trecho da leitura dramática engraçadíssima “De Passagem”, um brincadeira boa entre um mendigo e uma madame. Não consegui ver os espetáculos do Gira Dança mas consegui falar com Anderson Leão, um dos gestores do espaço, que disse que precisa rever a ação do grupo dentro do circuito, porque o espaço foi pequeno para o público que apareceu nas apresentações. Devem rumar a programação do grupo por meio da rua, o que é ótimo!

Além de toda a movimentação ainda teve um passeio ciclístico com quase 100 bicicletas, vários espaços abrindo por conta própria animando ainda mais a programação, espaços públicos como Capitania das Artes e Museu de Cultura Popular abertos no domingo, entre outras atividades espontâneas.

O fato é que o papel do Dosol e da Casa da Ribeira já está feito. O Circuito Cultural Ribeira é uma realidade que muitos duvidavam que fosse acontecer e que com apenas duas edições já se transformou numa das maiores opções culturais da cidade. Então marque na agenda, no primeiro domingo de cada mês tem mais. Próxima parada 1º de Maio. O Circuito Cultural Ribeira é uma iniciativa do Dosol e da Casa da Ribeira que tem patrocínio da Vivo, através do programa Conexão Vivo, usando incentivos da Lei Câmara Cascudo.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *