Coberturas, Natal, Notícias

COBERTURA DE SHOWS: SEGUNDO DIA CAOSNATAL 2007

Por Charllington

Pontualmente às 16h começa o segundo dia do Caosnatal com um publico tímido. Não tem jeito, o lance é diminuir as bandas e começar mais tarde porque a galera não chega cedo de jeito nenhum, sem falar que ainda tava rolando jogo o que com certeza fez com que a galera chegasse mais tarde. O Anfetamina foi massa, a proposta da banda é um rock nacional bem leve e muito bem executado, foi bem legal ver eles no começo, deu pra relaxar um pouco a cabeça devido a porradaria sonora da noite passada. A banda é bem simples mas chamou a atenção pela qualidade da apresentação, sem falar que o carinha bota muito cantor de bandinha nacional no chinelo, o cover da musica missionários que ultimamente o Biquíni Cavadão anda levando ficou idêntico!

Tudo no horário programado e o Reação Adversa entra em campo, alias é palco, como sempre o bom clima do show do reação fez muita gente se divertir com as peripécias do vocalista Shilton. É fato notório que uma boa parte da galera já conhece o refrãozinho “seu menino cresceu” e sempre adora participar das canções do grupo. Um bom momento dessa apresentação foi o convite ao vocalista Set do Verdade Suprema, em uma participação totalmente inusitada, os berros demoníacos se misturaram ao ritmo mas leve imposto pelo estilo do grupo o que tornou se algo realmente diferente, rolou ainda uma parceria no cover de “Afasia” do Dead Fish com o Assis guitarra da recifence Academic for Punk nos vocais.

O Academic fez um show totalmente instigado, várias vezes se via o boné ou algum outro acessório voando pelo palco de tanto que os caras estavam pulando, não entendo bem como uma boa galera que curte Blink 182 ou bandas nessa linha pode ficar tão parado ao som dos caras, embora o vocal tenha tentado varias vezes uma interação, o público parecia estar meio apático neste domingo de caos, destaque para o batera tocando de cueca e totalmente no gás o loco.

Chega a vez do The Sinks, eu fui lá bem pertinho pra ver se Foca sabe tocar mesmo o tal do baixo, pra depois o povo não ficar falando que ele não sabe usar as tais cordas lá kkkkkk. Bom, o show foi bem legal e como a proposta da banda não é gerar rodas avassaladoras de pogo, o lance correu do jeitinho Sinks mesmo, de todas as bandas que Foca já teve acho que uma boa parte aí concorda que essa é a melhor. O som é bem rockão, da vontade de meter a cara na gela, ficar bêbado, e tentar acompanhar o refrão de “Daddy” que é bem louco na voz de Dante. O batera tem uma pegada “fdp”, eu estava bem perto e senti o ouvido zumbir umas 15 vezes depois dele acertar a caixa, sem dúvida um belo show. O The Sinks ainda não é a salvação do rock potiguar como foi dito em outras resenhas de show mas também está longe de ser sua perdição.

Às 18h uma boa parte do publico amante do metalcore se aglomera mais próximo ao palco para sacar os cearenses do Not4sale, a banda que as mulheres devem ter adorado deu pra ver muita menininha suspirando pelo vocalista Guilherme, alguns problemas como estantes de pratos e uma guitarra que não funcionou, foram resolvidos rapidamente, com ajuda do mesário e também músico que estava realmente dando o gás pra sair tudo massa nas apresentações. o Not4sale despejou toneladas de riffs “metalcoreanos” da melhor qualidade, a banda funciona tão bem ao vivo quanto em cd que por sinal estavam sendo vendidos baratíssimos durante o show deles. Revezando entre vocais rasgados e melódicos o Not4sale fez a alegria de muita gente, embora mais uma vez não tenha se formado uma roda de pogo sequer, os caras gostaram demais de tocar por aqui novamente e deixaram bem claro isso no palco agradecendo a todos do local pela bela recepção.

O Calistoga muita gente já conhece e sabe do potencial dos caras, fizeram um ótimo show contando com Dante também no vocal o garoto parece um canivete suíço musical de tanta utilidade que ele tem em bandas.

Chegada a vez do Al-qaeda, direto das praias infestadas de tubarões os recifenses mostraram que tem treinamento terrorista nas veias, botaram pra arregaçar e seguindo a cartilha deixada pelo Verdade Suprema na noite anterior jogaram uma bomba e abriram a primeira e devastadora roda de pogo da noite. O pau comeu literalmente, embora o vocalista Danilo tenha pedido pra galera maneirar, e eu começo a achar que quanto mais se pede pra nego não se esmurrar todo, mais o povo adora se bater até sangrar. Rolou até voadora na hora do lado A lado B, proposto pela banda, destaque pra baixista Flávia que foi apelidada por aqui de Jesus de saias, (uma referencia ao baixista do Gandhi que também toca girando o cabelo) muita gente curtiu muito o som deles depois de vê-la tocando, resumindo o show do Al-qaeda é pesado curto e grosso!

Na seqüência temos nossa prata da casa, Ravanes, não sei o que diabos tinha o público ontem que tava assistindo imparcial a quase tudo, mesmo com problemas de retorno da bateria, o Ravanes fez um puta show como sempre, deu pra sacar legal o vocal e entender muita coisa mesmo, mandaram ver nas faixas do CD “Espantalho” e não tem mais nem o que dizer, Ravanes é porrada certa.

Umas 100 pessoas ainda se encontravam lá fora tentando burlar e entrar de graça pra sacar o Tight Pants Atack e como não é bom dar carne a gato e sim chiclete, não teve nada de liberação e o tight botou pra moer assim mesmo, banda muito boa , com Dante mais uma vez no vocal. Nessa não me agradou tanto a voz quanto nas outras, mas o show foi pesado e redondinho pra quem curte o estilo, terminado pontualmente às 22h40 se dava por encerrada a edição do Caosnatal 2007.

7 Comments

  1. Será possivel que o cara(resenhador) nao viu nenhuma banda que eu toquei,nem deve ter percebido que a musica “new way to say” foi pra ele!

    mais tá valendo.

    acho que um festival desse,nao devia ter tantas bandas e a parte da seleçao devia ser melhor(ou seria falta de opçao?)!

    abraço.

  2. Não fui ao Caos este ano, nem sei se devia comentar mas o espaço é aberto então só pra registrar duas coisas: com certeza essa é a melhor banda do foca, dessa vez acertou em cheio mesmo. e santo de casa não faz milagre, tenho ido a poucos shows ultimamente, mas na é poca que frequentava mais sempre foi assim, raramente o público daqui se empolga para pogar com bandas locais, para ser honesto, agora é que vejo mais os caras fazerem isso, mas aos poucos a gente aprende. Sim outra coisa não desistam de continuar a fazerem shows pontuais e mesmo em horários mais cedo, com o tempo o povo acostuma(espero).

  3. Geladeira eu vi sim pow huahahua, o foda ta a falta de opção mesmo , hj tem muita banda mas quase ninguem leva a sério! ta ficando osso montar o set dos festivals em Natal! mas é isso, vamos ver o que da no próximo e eu realmente vou diminuir o numero de bandas, da bem menos trabalho, inclusive pra vc hehehehehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *